domingo, 13 de março de 2011

Poema "Cheiro de Flor"

CHEIRO DE FLOR


Sabonete “Alma de Flores”

dê-me o da “fórmula original”

pra lembrar só do cheirinho

da Vozinha matinal.


Vozinha (minha bisavó) gostava desse sabonete, era o cheiro que pairava no ar, nas ensolaradas manhãs do sítio quando todos ainda dormiam e outros se esticavam com preguiça. E seguiam-se os outros cheiros e outros sons, de café, de pão de milho, de bolo de nata, das vozes, do ranger das janelas que se abriam, do rádio, e de tudo que era bom!

“Recordar é viver!”. Saudades!

4 comentários:

Maristela Melo disse...

Olá Rosa,
Recentemente perdi minha bisavó(14.02.11), minha filha perdeu sua tataravó, tão raro conhecermos nossas avós, bisavós e tataravós.
Nesse poema senti saudades da minha vó e bisa, o cheiro da saudade é o mesmo "alma de flores".. Lindo!!
Entrei, gostei e te seguirei.
Bjos Maristela
visite o meu http://leiturasaoventomaringa.blogspot.com/

Rosa da Rosa disse...

Que bom que estás aqui! Também estou te seguindo encantada com seu blog e o trabalho lindo que executas com leitura ao ar livre. Belas imagens, vi você, risos. Então vamos dividindo nossas lembranças, e nossas memórias "cheirosas". Também conheci a mãe da minha "Vozinha", tinha oito anos de idade quando ela faleceu. Bjos pra ti e sua filha, que saberá guardar o cheirinho da "bisa"!

Eliziane Nicolao disse...

Adorei a homenagem a sua "vózinha". E também lembrei da minha! Obrigada!

Rosa da Rosa disse...

Que bom! Essas vozinhas fazem tanta falta, e daí lembramos do seu cheirinho!