sexta-feira, 27 de maio de 2011

Fotografia "Duas Telas - Experimento"

Iniciei uma experimentação em artes plásticas compartilhada com a artista plástica Rose Orth. Aos poucos os registros fotográficos e comentários sobre a concepção serão expostos nesse espaço virtual.

A primeira etapa do experimento são as pinturas em tela, que lhes apresento hoje. Foi utilizada a tinta acrílica na cor amarelo escuro 302 e azul da prússia 331. A tinta acrílica é solúvel em água e de rápida secagem, o acabamento é brilhante e permite criar texturas com o pincel quando aplicada em camadas mais espessas. Por suas propriedades foi a tinta escolhida.

As duas fotografias abaixo são de uma única tela, com etapas diferentes de execução. A primeira fotografia é a etapa inicial com o desenho em grafite sobre a tela branca e inicio da pintura do fundo em azul. A segunda fotografia é a mesma tela com aplicação da segunda camada do fundo e primeira camada de tinta amarela nos pés.


Visite também  site de Rose Orth.

Imagem de uma tela retangular.  Mostra de frente num fundo azul escuro o desenho manual de um par de pés cruzados, pé esquerdo por cima do pé direito. Desenho com lápis grafite mostra parte da canela na extremidade superior e centralizada da tela. Seguindo, são vistas várias linhas sobre a tela branca, repetidas e aproximadas formando o par de pés.  Pé esquerdo de frente com dedos estirados para baixo. Pé direito mostrando lateral interna e dedos levemente dobrados. Fundo azul escuro pintado.

























Imagem de uma tela retangular.  Mostra o mesmo desenho da imagem anterior, parte da canela e par de pés pintados na cor amarela.  Ainda são vistas algumas linhas desenhadas através da tinta. O contorno que limita os pés e parte da canela com o fundo azul está em branco. O contorno é o fundo branco da tela, uma linha branca de espessura fina e irregular.


































Você que é vidente, passe o mouse por cima das imagens, verá que a descrição textual das imagens foi inserida.

Agradeço a ajuda de Leondeniz, Paulo Romeu e Deborah Prattes por suas orientações. Valeu! Agora é menos uma barreira digital neste blog.

Visite e leia no twitter @deborah_jimmy

segunda-feira, 23 de maio de 2011

Divulgando Curso de Fotografia

Fiz e recomendado! Para quem mora em Cascavel e cidades vizinhas!

Fonte da notícia: http://www.fag.edu.br/


A FAG, através da Agência Experimental de Comunicação Integrada (Agecin), promove em junho mais uma edição do Curso de Fotografia. O curso tem carga horária de 18 horas e acontecerá aos sábados, nos dias 04, 11 e 18 de junho, das 9h as 12h, e das 13h as 16h. O valor do investimento é de R$ 200,00 e ao final das atividades todos os alunos recebem certificado de participação.

Segundo o professor do curso, jornalista e fotógrafo Ralph Willians, o objetivo é ensinar técnicas, dar dicas e apresentar truques sobre a utilização do equipamento fotográfico para que os fotógrafos possam tirar melhor proveito de seus equipamentos. “O curso é voltado para iniciantes e para aqueles que buscam aperfeiçoar o seu olhar fotográfico. É aberto a todas as idades e uma ótima oportunidade para aqueles que buscam cursos de curta duração dentro dessa área”, destaca Ralph.

As vagas são limitadas e as inscrições podem ser feitas através desta página: http://ceps.fag.edu.br:8080/Fotografia . Mais informações podem ser obtidas pelos telefones (45) 3321-3961, (45) 8807-8838, ou através do e-mail ralphwillians@gmail.com.

CONTEÚDO ABORDADO
O que é luz?
Definições sobre fotografia
História da fotografia
Câmeras digitais e analógicas
O que é Diafragma?
O que é Obturador?
Fotometria
ISO - International Standards Organizations
Áreas de fotometria
Tipos de lentes
Brincando com lentes – efeitos e truques
Distância focal
Dicas para obter uma boa foto
Profundidade de campo
White balance e efeitos criativos
Composição
Composição – figuras humanas em paisagens
Edição de fotografias – formatos
Regra dos terços
O retrato
Isolando temas
A perspectiva na fotografia
A moldura na fotografia
Textura
Ponto de vista
Uso do flash
Flash de preenchimento
Flash – dicas
Flash – Evitando sombras
Fotografia Noturna
Fotografia Noturna – Shows e espetáculos
Câmera fotográfica - Modos avançados: AE/ AV/ TV / M
Critérios de avaliação de uma fotografia
Direito Autoral e uso de imagem

sábado, 21 de maio de 2011

Divulgando – Audiências do “Programa de Fomento e Incentivo à Cultura do Paraná”.

Li a boa notícia também no site Anjos da Cultura.

O texto abaixo é sobre as três audiências que ocorrerão neste fim de semana em Toledo, Cascavel e Foz do Iguaçu.

Copiado da fonte: http://proculturapr.wordpress.com/


“Toledo, Cascavel e Foz do Iguaçu recebem neste final de semana audiências públicas sobre a criação do Programa Estadual de Fomento e Incentivo à Cultura (Profice). As reuniões são abertas ao público e contarão com a presença do secretário de Estado da Cultura, Paulino Viapiana.

Em Toledo, o encontro será realizado no sábado (21 de maio) às 15h, no Anfiteatro da Prefeitura Municipal (Rua Raimundo Leonardi, 1.586). Já em Cascavel a audiência ocorre no domingo (22 de maio), às 9h, no Centro Cultural Gilberto Mayer (Rua Duque de Caxias, 379. Centro). Em Foz do Iguaçu o debate também será realizado no domingo, às 17 horas, na Fundação Cultural da cidade (Rua Benjamin Constant, 62. Centro).

As audiências servirão para apresentar a minuta do anteprojeto elaborado pelas secretarias da Cultura, Planejamento e Fazenda, e por representantes da Assembleia Legislativa e do Fórum das Entidades Culturais. Além disso, serão esclarecidos pontos importantes da proposta, como a metodologia de trabalho para a elaboração do documento e alguns condicionantes técnicos e jurídicos.

O projeto será apresentado ainda em Pato Branco, Francisco Beltrão, Londrina e Jacarezinho. O último encontro será realizado em Curitiba. Após as audiências públicas, que devem terminar em 14 de junho, as sugestões recebidas serão avaliadas para incorporação ao anteprojeto da lei, que passará também por avaliação técnica e jurídica antes de ser encaminhada para votação na Assembleia Legislativa.”


Em Cascavel é amanhã, 22/05 (domingo) das 09h até 12h, no Centro Cultural Gilberto Mayer, rua Duque de Caxias,379, Centro.

Participe!

quinta-feira, 19 de maio de 2011

A arte e o artista Filipe.

Cada comentário que leio me emociona. Não faço nada, nem crio nada sem emoção. Recebi e recebo cada um como alimento para continuar. Trago hoje o comentário de Ray a mãe do artista Filipe, um artista que também é autista, poeta das cores, sonhador, que em seu currículo já inclui exposições em espaços físicos e também virtuais, como a galeria que mantém em seu site criado por Ray, utiliza técnicas diferentes em sua expressão artística, processo iniciado desde a infância, quando a arte se manifestou além do exercício de comunicação com o mundo.

Ao final desta postagem encontrará o site do Filipe, para que todos visitem e ajudem também na divulgação do artista e de Ray, que além de ser a responsável pela divulgação dos trabalhos artísticos, organização das exposições, dos contatos com o artista, etc., ajuda outras pessoas através do seu conhecimento e experiência pessoal sobre Autismo.

Abaixo o comentário de Ray na postagem anterior:

“Oi Rosa.
Conhecendo seu blog e sua arte a gente entende que por detrás dela está uma pessoa maravilhosa com um coração e uma mente solidária, amiga e compassiva.
É por isso que seu trabalho tem tanta expressividade é tão bonito.
Eu conheço o Mac também, da Bengala Legal. ele já me deu muitas dicas para ajudar o Filipe. Ele é uma pessoa muito humana , que tem muito o que nos ensinar.
Obrigada por estar comigo e Filipe na nossa caminhada. Precisamos muito de pessoas como voce, que sempre tem algo bonito para nos ensinar e falar.
Um beijo grande.

Ray."

Ray, conte com este espaço, estou aqui e no twitter como @asartesdarosa. Receber os elogios nos comentários é muito bom, mas aumenta minha responsabilidade diante de um universo que mergulho cada vez mais, encontrando pessoas abertas ao diálogo, à troca, ensinando e compartilhando com generosidade, espero poder retribuir e fazer a minha parte e vamos em frente.


O MAQ é uma referência de humanidade, seja por sua história pessoal de vida e/ou profissional. Para conhecê-los e nos ajudar na divulgação, visite, conheça, divulgue, leia mais no site Arte Autismo.
Ainda não visitou o site do MAQ? Faça agora, não perca tempo,
visite o Bengala Legal.

segunda-feira, 16 de maio de 2011

Fotografia “Piso, Pés e Bengalas”

Fotografia de pernas e pés de homens e mulheres, conduzindo algumas bengalas, sobre um piso brilhoso com reflexos de suas imagens. Feita no hall da UNIOESTE, em Cascavel, PR, durante o XII Encontro Nacional de Usuários DOSVOX, em outubro de 2010.














Descrição textual da imagem:
Fotografia retangular, largura maior que a altura. Em primeiro plano, ocupando mais da metade inferior da imagem, um piso de madeira brilhoso reflete a imagem de um grupo de pessoas reunidas, ocupando  toda a extensão horizontal  da extremidade superior da imagem.  São vistas apenas as pernas, algumas caminham e outras estão paradas, são vistos pés com calçados femininos e masculinos, a maioria das pessoas está vestida com calças compridas na cor azul escuro, vê-se por entre as pernas algumas bengalas nas cores branca e amarela, branca e vermelha, uma das bengalas mais à direita da imagem mostra uma esfera de borracha na extremidade que toca o chão.
Esta fotografia foi feita durante o XII Encontro Nacional de Usuários DOSVOX , evento realizado  no mês de outubro do ano passado, na cidade de Cascavel, PR, na Universidade Estadual do Oeste do Paraná, a UNIOESTE.
As pernas e pés reunidos na imagem podem ser vistos em qualquer lugar do mundo, modificariam talvez o modelo dos calçados ou das roupas, existem formas diferentes de vestimentas em culturas diferentes.  Você vê alguma diferença?  Seriam as bengalas? Muitas das pessoas fotografadas usam bengalas. Não há diferença em ser pessoa! Mas há pessoas diferentes, todas no mundo são diferentes, inclusive eu e você.
Com uma “bengala legal” caminha uma pessoa legal, com direitos e deveres, como as pessoas que caminham ou se locomovem sem bengala, ou com cadeiras de rodas, ou próteses, ou com auxílio de cães.
A referência para fazer essa fotografia, foi o nome do site criado por Marco Antonio de Queiroz, ou simplesmente MAQ,  visite e conheça mais o MAQ e leia Bengala Legal. Foi dele que recebi por e-mail, a primeira saudação inclusiva, cujas palavras me conduziam a um brinde, emocionada me senti e hoje me incluo em um dos muitos processos de inclusão que vivemos, e lutamos para que sejam concretizados.
Dedico este post às pessoas cegas ou videntes que conheci e que estou conhecendo, com quem aprendo cada vez mais sobre a luta diária pelo direito de ter direito à vida, vivida com plenitude.
Aprendendo através do site Bengala Legal, “descrição da imagem”, agora será “descrição textual da imagem”.

domingo, 15 de maio de 2011

Fotografia de autor "Composição"

 Fotografia de três siluetas. Silueta do busto de um homem, centralizada na parte inferior e acima nas duas extremidades direita e esquerda da imagem,  a silueta de duas figuras geométricas. O fundo é azul, o azul do céu, completando a composição dessa fotografia feita contra a luz” width=
Descrição da imagem:

Imagem retangular, largura maior que a altura. Centralizada na parte inferior da imagem a silueta preta do busto de um homem, levemente voltado para a direita. Os cabelos são curtos. No contorno da face do homem o queixo está um pouco proeminente. Ao fundo o azul do céu, cor predominante, é visto nas laterais do homem ocupando as partes inferiores da imagem, acima da cabeça e preenchendo parte da área superior da imagem. No canto superior esquerdo vê-se um triângulo escaleno preto, possui um ângulo reto que coincide com o canto da imagem. Próximo a este retângulo vê-se no lado direito um trapezóide preto, com um ângulo reto que coincide com o canto superior direito da imagem.

Triângulo escaleno apresenta três lados e ângulos diferentes. E o trapezóide é um quadrilátero com seus quatro lados não paralelos.

É uma fotografia feita contra a luz, neste caso era a luz do Sol, sem uso do flash, por isso só vemos as siluetas. Não se vê volume, apenas um recorte preto com a forma externa do motivo fotografado.A composição não foi intencional, coincidentemente obedece à regra dos três terços. Era uma aula de fotografia, baixei a câmera na altura da barriga e posicionei a lente em direção aos motivos, previa o resultado por causa da luz forte em frente à câmera e por trás dos motivos fotografados, sem o domínio da imagem não precisei dos olhos, apenas da câmera. Feita em agosto de 2008.

Fotografar é surpreendente! A câmera nos causa surpresas visuais, não precisa ver para fotografar, o "olhar" se treina através da sensibilidade. Experimente encantar-se com os resultados das suas fotografias.

terça-feira, 10 de maio de 2011

Divulgando Ciclo de Autores, no SESC Cascavel, PR.

PROGRAMAÇÃO SESC CASCAVEL

Ciclo de Autores
Tema: Papo Sério – Humor e Literatura

Autores Convidados: José Roberto Torero e Paulo Caruso
Data: 11 de Maio (Quarta-feira)
Horário: 19h30
Local: Auditório do Senac – Rua Recife, 2283
Participação Gratuita – vagas limitadas.

Retirar convites antecipadamente no Sesc , na Rua Carlos de Carvalho, 3367. Convites disponíveis a partir de 02/05 também no Sesc.

Para agendamento de grupos, falar com Lysiane (45) 3225-3828 ou e-mail
lysianebaldo@sescpr.com.br


Sobre os Autores:

José Roberto Torero.
Santista de 1963, José Roberto Torero é escritor, cineasta, jornalista e roteirista. Entre seus trabalhos estão o roteiro dos filmes “Pequeno Dicionário Amoroso”, “Como fazer um filme de amor”, “Um homem sério” e “Memórias Póstumas”, e das séries de TV “Retrato Falado” e “Manual de instruções”, ambas exibidas no Fantástico, da rede Globo. Na literatura, estreou com “O Chalaça”, vencedor do prêmio Jabuti nas categorias Romance e Livro do Ano. Em seguida, vieram “Terra Papagalli”, “ Os cabeças-de-bagre também merecem o paraíso”, “Ira - Xadrez, truco e outras guerras”, “Os Vermes”, entre outros.

Paulo Caruso.
Paulistano de 1949 é um dos principais cartunistas brasileiros. Já trabalhou em todos os grandes jornais e revistas do país. Na ISTOÉ, assinou por 25 anos a coluna “Avenida Brasil”, um retrato bem humorado da política brasileira. Publicou os livros “As origens do Capitão Bandeira”, “Ecos do Ipiranga”, “As mil e uma noites”, “São Paulo por Paulo Caruso” e “Se meu Rolls Royce falasse”. Músico e compositor, gravou dois discos de sátira da política musicada: “Para seu governo” e “E La nave va...doppo Fellini”. Atualmente publica na revista Época seus comentários sobre a política e a vida na capital paulista, e faz caricaturas ao vivo durante o programa Roda Viva, da TV Cultura. “Avenida Brasil: enfim um país sério”, lançada no ano passado, é sua publicação mais recente.

Oficina de Cartum
Conteúdos: Técnicas e Fundamentos do desenho de Humor, aplicação de exercícios e orientação na produção de cartuns.
Data: 14 de Maio (sábado)
Horário: das 14h às 17h
Local: Sesc Cascavel (Rua Carlos de Carvalho, 3367).
Valores: R$ 10,00 (Comerciário) R$ 15,00 (Não Comerciário).
Vagas limitadas – inscrições no Sesc - a partir de 02/05.

Mais informações: (45) 3225-3828


Fonte: lysianebaldo@sescpr.com.br

segunda-feira, 9 de maio de 2011

Divulgando Mostra CineSesc Maio - Os Personagens de Kieslowski. SESC Cascavel, PR.

Não perca!

Mostra CineSesc Maio - Os Personagens de Kieslowski Dias: 12, 13 e 14 de Maio.
Horário: 19h30.
Local: Sesc Cascavel – Rua Carlos de Carvalho, 3367 – Centro.


Filmes:
Dia 12 (Quinta-feira) – A Cicatriz, 1976, dir. Krzysztof Kieslowski, 102 min.
Dia 13 (Sexta-feira) – Cinemaníaco, 1979, dir. Krzystof Kieslowski, 117 min.
Dia 14 (Sábado) – A Dupla Vida de Véronique, 1991, dir. Krzystof Kieslowski, 93 min.

PARTICIPAÇÃO GRATUITA

Debate técnico após as exibições.

Oficinas de Cinema - 14 de Maio – Sábado

Oficina Manhã – Direção II
Conteúdo: Produção – (Iluminação, Lentes) Mise-em-scène, continuidade, som, direção de equipe. Direção de Arte.
Horário - Das 09h às 12h
Local - Salão Social – Sesc Cascavel.


Oficina Tarde – Grandes Diretores – Stanley Kubrick
Horário - Das 14h às 17h
Local - Salão Social – Sesc Cascavel.

PARTICIPAÇÃO GRATUITA
Vagas limitadas
Inscrições pelo e-mail
lysianebaldo@sescpr.com.br ou fone (45) 3225-3828.

Sobre Kieslowski e sobre os filmes da Mostra:
O diretor polonês Krzysztof Kieslowski possui em seu currículo uma vasta mas coesa filmografia. Tornado célebre especialmente por sua Trilogia das Cores ("A Liberdade é Azul", 1993; "A Igualdade é Branca", 1994; "A Fraternidade é Vermelha", 1994) e pela série de curtas Decálogo (1988), uma das mais prestigiadas coleções do cinema, o diretor mantém em seus trabalhos um tom marcante de sensibilidade psicológica e consciência social. Seus personagens são densos, às vezes mesmos tensos, mas, pintados com cores leves que os humanizam, parecem aproximar-se do espectador no que temos de mais comum, ordinário e simples.

A primeira fase da produção do diretor é conhecida como a fase polonesa de sua produção: Kieslowski se forma jovem na escola de cinema de Lodz e parte para a realização de documentários em que já se percebe o tom sensível e crítico que iria se desenvolver em seus posteriores longas de ficção. "Sete Mulheres de Diferentes Idades" (Siedem kobiet w roznym wieku, 1978) e "Curriculum Vitae" (Zyciorys, 1975), entre outros de seus documentários, retratam as dificuldades e contradições da Polônia da época sem obscurecer a personalidade dos sujeitos representados.

A Mostra "Os Personagens de Krzysztof Kieslowski" inicia com um dos primeiros grandes filmes de ficção do diretor; e também um dos mais polêmicos. A exibição de "A Cicatriz" (Blizna, 1976) foi proibida em seu país de origem por conta das implicações sociais da crítica inserida na narrativa que conta a história de Bednarz, funcionário escolhido para tocar a construção de um grande complexo petroquÍmico em uma pequena cidade. Bednarz conhece a cidade e tem grandes planos para a instalação da fábrica, mas seu otimismo é podado pela dura realidade dos interesses dos grupos envolvidos e da crueza da vida cotidiana dos habitantes da cidade, alheios a seus planos idealistas. O filme continuou proibido durante toda a vida do diretor, e sua exibição marca a vitória da criatividade de Kieslowski para falar de temas caros, ainda que sensíveis, para a vida de seus conterrâneos.

A temática do personagem oriundo da classe trabalhadora que se vê às voltas com a percepção de sua própria condição social retorna à tona em "Cinemaníaco" (Amator, 1979), em que Kiselowski retrata a descoberta do cinema por um simples operário. Munido de sua câmera de filmar, comprada para registrar o nascimento da filha, Filip Mosz acaba sendo convidado a realizar um filme sobre a fábrica onde trabalha. Mosz se torna obcecado pela cinematografia, e ao mesmo tempo em que a nova paixão o liberta da vida comum da Polônia, também o afasta da mulher, preocupada com os problemas cotidianos; ao mesmo tempo, também, ele descobre que o projeto ingênuo de apenas registrar a realidade esbarra nas subjetividades e pressões sociais que se opõem à beleza do ato de filmar. A metalinguagem e a reflexividade do filme encantam e supreendem, pois nos identificamos com a ingenuidade de Mosz mas também nos indignamos com os rumos frustrados de sua empreitada utópica.

Por fim, a Mostra se encerra com mais um personagem às voltas com sua própria personalidade e que tem, em seu caminho, a figura decisiva do acaso: em "A Dupla Vida de Véronique" ( La Double vie de Véronique/Podwójne życie Weroniki, 1991), conhecemos a história de Weronika e Véronique, duas mulheres idênticas, nascidas no mesmo dia, mas em lugares diferentes. Ambas são vividas por Irene Jacob, atriz francesa que mais tarde trabalharia com Kieslowski em "A Fraternidade é Vermelha". Elas não se conhecem, mas suas vidas influenciam uma à outra: Weronika, como Véronique, adora cantar e sofre de um problema do coração. Após um furtivo encontro, Weronika morre durante uma apresentação de canto lírico, e a vida de Véronique muda como se aprendesse com os erros da outra. Kieslowski volta a tratar de personagens cujas vidas mudam por um sopro de acaso, e cujas mudanças são, essencialmente, internas: é na estranha sensação do duplo de Véronique que reside toda a beleza de suas mudanças e o incômodo causado ao espectador a respeito de sua própria condição de conexão com o mundo.

Os personagens de Kieslowski não realizam grandes feitos, não mudam a história, nem mesmo derrubam governos; é na pequenez de suas vidas que as grandes e subversivas idéias se realizam. Seja na ingenuidade de um apaixonado pela imagem em movimento, seja no idealismo de um trabalhador, ou na melancolia de uma jovem que se sente triste por não estar só, Kieslowski cria personagens muito próximos, incomoda e paradoxalmente, de nossos próprios personagens reais.

Fonte: lysianebaldo@sescpr.com.br