quinta-feira, 28 de julho de 2011

Divulgando CINESESC SESC Cascavel - PR

Geada Negra

Data: 11 de agosto (quinta-feira)

Horário: 19h30
Local: Sesc Cascavel - Rua Carlos de Carvalho, 3367 - Centro.

PARTICIPAÇÃO GRATUITA
Debate técnico após a exibição.

“Todo o café dizimado”. Esta foi a triste manchete dos jornais paranaenses do dia 18 de julho de 1975, um dia após a ocorrência da maior geada de que se tem notícia no Brasil. A força e extensão do fenômeno levou o episódio a ser batizado de “geada negra”, pela destruição das raízes dos pés de café, a principal cultura agrícola nacional à época.

Nos períodos subsequentes, a política de redução dos incentivos para a produção cafeeira foi acentuada. Como a cultura absorvia muita mão-de-obra, o fim dos cafezais resultou, ao longo dos anos seguintes, em um dos maiores êxodos populacionais ocorridos no Brasil e um dos maiores do mundo entre os ocorridos em tempos de paz. A partir deste evento o Paraná é redesenhado, os pequenos municípios esvaziam-se e os maiores têm avolumadas suas populações marginais, principalmente nas regiões metropolitanas.

O tema do documentário é original – jamais fora realizado um documentário sobre este fato, apesar da grandiosidade dos seus efeitos – e tem uma dimensão e importância que abrange todo o Paraná, afinal, das cidades pequenas às grandes cidades do interior, da capital às suas regiões metropolitanas há pessoas e histórias que de algum modo tiveram seus destinos marcados por este fenômeno. Ocorrido em um passado recente, apenas 35 anos, o fato ainda vive na memória dos paranaenses e dos brasileiros. Por este motivo, desperta muito interesse e tem um enorme público telespectador potencial.

Para a realização do telefilme, foram recuperadas imagens de arquivo – fotografias, filmes e jornais – que até então estavam guardadas em arquivos públicos e privados e que serão novamente levadas ao público. O documentário retoma ainda personagens fundamentais para se compreender aquele momento, como governadores e secretários estaduais à época, e realiza um minucioso levantamento histórico do período, resultando em um produto que pode servir como base e referência histórica sobre o período abordado e sobre a dinâmica econômica e social paranaense à época.

Sinopse:
Na manhã de 18 de julho de 1975 uma perspectiva terrível assombra os paranaenses. A economia do estado, ainda vinculada à produção cafeeira, passaria pelo seu pior pesadelo. Se na noite anterior o Paraná dormira deslumbrado com a rara neve que caíra sobre a capital, no dia seguinte acordara com os efeitos catastróficos da “geada negra” – que destruiu pela raiz todos os cafezais do estado – o mais duro golpe experimentado pelos paranaenses.

Entrevistados:

Jayme Canet Jr.
Governador do Paraná 1975-79

Belmiro Valverde Castor
Secretário de Planejamento 1974-79

Luiz Geraldo Mazza
Jornalista

José Lazaro Dumond
Presidente da Federação dos Trabalhadores na Lavoura do Paraná 1964-82

Maria Lúcia Urban
Pesquisadora do Ipardes

Francisco Barbosa Lima
Técnico do Instituto Brasileiro do Café

Klaus Kaphan
Cafeicultor

Jota Oliveira
Jornalista

Irineu Pozzobon
Técnico do Instituto Brasileiro do Café

Wilson Baggio
Cafeicultor

Daniel Henrique de Andrade
Corretor de café

Milton Matoso
Corretor de café

Maria de Lourdes Kleinke
Pesquisadora do Ipardes

João Urban
Fotógrafo

Wilson Baggio
Cafeicultor

Mário Stadler de Souza

Presidente da Federação da Agricultura do Paraná 1973-85

Joaquim Severino
Diretor geral da Secretaria de Agricultura do Paraná 1975-79

Ficha técnica
Direção, pesquisa e roteiro
Adriano Justino

Assistência de direção
Danilo Pschera

Edição
Eduardo Baggio

Direção de fotografia
Fernando Aguiar e Isaías Emílio

Direção de produção
Suzana Aragão

Técnico de som
Reinaldo Freire

Trilha sonora e mixagem de som
Demian Garcia

Locução
Ricardo Sabbag

Animações e tratamento de fotos
Everton Sebben


Assistentes de pesquisa
Fabiano Atenas
Flávia Alves

Acervos de fotos
Armínio Kaiser, do livro Ao sabor do Café
João Urban
Museu da Imagem e do Som do Paraná
Museu Padre Carlos Weiss de Londrina (Acervo R. Kretch)

Acervos de filmes
Museu da Imagem e do Som do Paraná
Rede Paranaense de Comunicação


Acervo de jornais
Biblioteca Pública do Paraná




CINEMATOSO

Data: 12 de agosto (sexta-feira)
Horário: 19h30
Local: Sesc Cascavel - Rua Carlos de Carvalho, 3367 - Centro.

PARTICIPAÇÃO GRATUITA

Debate técnico após a exibição.

Documentário sobre a vida e obra do cineasta Cyro Matoso.

Cyro Matoso é um jovem senhor de setenta e poucos anos, figura única das artes em Paranaguá. Aposentado pelo IBC (Instituto brasileiro do Café) desde os anos 70, dedica-se à sua grande paixão, o cinema. Nesse tempo, realizou mais de 10 filmes dentre curtas, médias e longas metragens, sempre produzindo de forma alternativa, remando altivo contra a maré. Artista Plástico e Cineasta, em meados dos anos 70 também iniciou as encenações da Paixão de cristo na cidade, reunindo elenco, dirigindo e construindo ele próprio os cenários.

Em filmes como “O Mistério da Casa Afundada”, “Grazi na terra de King Kong”, “Aparição da Virgem do Rocio”, Cyro desenvolveu uma maneira peculiar de retratar a Paranaguá do passado, abordando lendas caiçaras e estórias religiosas em paralelo a temáticas locais da atualidade. É contagiante a perseverança com que produz os seus filmes. De forma totalmente intuitiva e independente, ele escreve o roteiro, consegue apoio de comerciantes locais e escala o elenco, em sua grande maioria moradores (“não atores”) da própria comunidade.

Assim, mais do que um cineasta, Cyro tornou-se uma figura folclórica viva do litoral paranaense. Um agitador cultural que desperta à comunidade mais humilde um olhar cinematográfico. Cyro é um exemplo vivo, aos novos realizadores, de que os inquietos olhos do artista podem e devem sempre brilhar.


Sinopse:
Documentário sobre a vida e obra do cineasta Cyro Matoso.

2010 – CineMatoso (Documentário)

Informações Técnicas:
Documentário | Mini-dv | Cor | 16x9 (Widescreen) | 2.0 | 80’00” | 2010 |


Ficha Técnica:

Produção: Processo MultiArtes | Co-Produção: Grafo Audiovisual | Prod. Associada: Vigor Mortis | Direção e Roteiro: Bruno de Oliveira | Ass. de Direção: Fábio Allon | Dir. de Produção: Adriano Esturilho | Produção Executiva: Adriano Esturilho e Carolina Maia | Ass. de Produção: Marisa Merlo | Dir. de Fotografia: Adalgisa Lacerda e André Chesini | Ass. de Câmera e Câmera Adicional: Antônio Jr. | Still: Andressa Cor | Som Direto: Roberto Carlos de Oliveira (Tinho) | Programação Visual: Pablito Kucarz | Edição e Finalização: Daniel Duda | Apoio: SESC PR, Restaurante À Bombordo, Pizzaria Será o Benedito, FUMCUL Fundação Municipal de Cultura – Paranaguá, FUMTUR - Fundação Municipal de Turismo – Paranaguá, Sanepar, ATG – transportes | Incentivo: Banco do Brasil, Prefeitura Municipal de Curitiba, Fundação Cultural de Curitiba e Lei de Incentivo à Cultura |

Fonte: Lysiane Baldo
Técnica de Atividades - Cultura
SESC Cascavel - (45) 3225 3828
lysianebaldo@sescpr.com.br

domingo, 24 de julho de 2011

"REHAB"

Fotografia P&B com solarização. Autorretrato inspirado no rosto maquiado de Amy Winehouse. Pintura e distorções no cabelo, manipuladas no programa “Adobe Photoshop”.

Detalhe da face esquerda, rosto feminino.  Olhar lateral, íris próxima ao canto externo do olho. Olho grande maquiado com delineador e lápis preto ao redor. Linha grossa preta estende-se do canto direito do olho até a sobrancelha, em direção à fronte.  Mecha de cabelo preto, pouco ondulado, emoldura a lateral da face no lado direito da imagem. Da narina sai a palavra vermelha, “REHAB”, em letras tortas. Desenhada com lápis preto abaixo do olho, uma lágrima, pintada de vermelho.


































Amy Winehouse em despedida. A vida merece cuidados!

*1983 †2011


 Assista "Rehab" no link acessível.

quarta-feira, 20 de julho de 2011

Reunindo os amigos em torno do bolo, você está convidado!

Hoje nos reunimos em torno do bolo que fiz, experimentei a arte culinária, desde a compra dos ingredientes, preparo e apresentação. Registrei em fotografias algumas etapas, como prometi à fonte da receita deste bolo, o generoso Josa Junior “Artesão e Artista Plástico que vive no mato” (@JosaJr). 
Não publiquei a receita para que você visite o blog do Junior, lá ele publica outras receitas, em fotografias e textos generosos que vão gerando gentilezas. Conheça a receita, leia e veja em Banco & Balcão.
A maça com a canela, amêndoas (não usei as nozes da receita original), as uvas passas e as raspas de limão (estas substituídas pela essência de baunilha da receita original), formam juntas uma composição aromática de perfume inesquecível, percebida já durante o preparo.
Não triturei as amêndoas, deixei algumas inteiras e outras apenas quebradas ao meio para se destacarem na mastigação, assim como acontece com as uvas passas macias e azedinhas.
Tive um problema no momento de desenformar, algumas passas e um pouco da massa grudaram no fundo da fôrma, acontece nas melhores cozinhas. Recordo de uma dica materna, se passar as uvas-passas em um pouco de farinha de trigo, antes de misturá-las à massa, evita que sedimentem no fundo da forma durante o cozimento. Esqueci!  Mas nada que comprometa esse momento, nem as fotografias despretensiosas.
Não fiz a cobertura sugerida na receita original, para não errar novamente, polvilhei por cima do bolo ainda quente, um pouco de açúcar e canela. Cortei duas fatias finas de maça e decorei as bordas do prato. Deixei que caisse um pouco de canela sobre a borda.
Vamos ver as fotografias?

Na metade inferior da imagem, vê-se uma superfície de madeira marrom de tábuas estreitas horizontais. Sobre a superfície, centralizada na imagem, é vista a lateral de uma tigela de vidro transparente, redonda e com água. Vê-se uma tampa branca redonda submersa, mais abaixo três maças vermelhas e dois limões verdes, as frutas estão deformadas pelo efeito produzido pela água e o vidro transparente. Ao fundo vê-se parte de uma parede com azulejos beges.


Imagem superior da parte de uma tigela redonda de vidro transparente, sobre uma superfície de madeira marrom. Ocupando de baixo para cima, em mais da metade inferior da imagem, dentro da tigela, uma massa de bolo pastosa, amarelada, pequenos pedaços de maçã e amêndoas e bolhas pequenas na superfície. Atrás da tigela, pouco desfocados, na parte superior da imagem, sobre pires bege, ralador de metal, limão com a casca ralada, maçã vermelha e poucas amêndoas, xícara branca com açúcar, embalagem de óleo
Imagem vista de cima. Na metade inferior da imagem, sobre uma superfície de madeira marrom de tábuas estreitas diagonais, vê-se parte de uma fôrma redonda de alumínio untada e parte de uma tigela redonda de vidro transparente, derramando dentro da forma uma massa marrom clara e pastosa, com pedaços misturados de maça, amêndoas e uvas-passas.

Imagem vista de cima de uma superfície de madeira marrom, de tábuas estreitas horizontais.  Sobre a superfície, vê-se uma maçã vermelha à esquerda, ao lado uma forma redonda de alumínio com furo centralizado, preenchida com massa pastosa amarelada de bolo, com pedaços de frutas e amêndoas.  Sobre a superfície de madeira, aproximadas da maça e da forma, seis amêndoas na cor da madeira e seis uvas-passas pretas dispostas desordenadamente.

Na parte inferior da imagem, vê-se parte de uma toalha de mesa de crochet filet branco, por baixo de um prato branco redondo. No centro da imagem, em cima do prato branco, um bolo marrom de furo redondo centralizado. Ao fundo são vistos desfocados, o restante da toalha de mesa, um bule, três xícaras e pires de porcelana branca decorada com flores, quatro taças de vidro transparente, pequena tigela de barro marrom com três maças vermelhas, e parte de uma cortina de tecido bege.

Centralizado na imagem, de frente, em cima de uma superfície forrada com toalha branca de crochet filet , um bolo marrom com furo no centro, sobre um prato redondo branco. À esquerda em cima do bolo, pequena bandeirola triangular de papel branco, escrito com letras pretas “RECEITA DO @JosaJr” e “GENTILEZA GERA GENTILEZA”. Na borda do prato, duas fatias finas de maça sobrepostas e pó fino marrom. Pó branco e marrom em cima do bolo. Ao fundo,sobre a toalha, quatro maças vermelhas brilhosas.


Sobre uma superfície branca, resquícios da massa do bolo, uvas-passas açucaradas e a metade de um bolo partida ocupando a parte superior da imagem. À esquerda, na parte seccionada, são vistos  pequenos pedaços de maça, uvas-passas e amêndoas incorporadas na massa.


Agradeço sua presença!

quinta-feira, 14 de julho de 2011

FESTA COMEMORATIVA DOS 20 ANOS DE FUNDAÇÃO DA SURDOVEL - CASCAVEL, PR

FESTA DOS 20 ANOS DA SURDOVEL

Convite!

A Surdovel (Associação dos surdos de Cascavel) promove neste dia 30 de Julho, com início às 22 horas, o baile em comemoração aos 20 anos da Associação.
No local haverá um coquetel e desfile da Garota Surdovel. Logo após a festa com DJ.

Valor dos Ingressos:
Homem: R$ 20,00:
Mulher: R$ 15,00

Traje social.

INTERESSADOS PROCUREM PELA DIRETORIA DA SURDOVEL OU PELO FONE 8825-2938.
OBS: Entrada proibida para menores de 16 anos.

O vídeo abaixo é o convite em LIBRAS feito pelo Presidente da Surdovel, Lúcio Rogério Rodrigues. Disponível no You Tube, acesse o
link acessível  Abaixo do vídeo a descrição. Desculpem não traduzir na íntegra o vídeo, ainda sou aprendiz em LIBRAS. Mas o convite está feito!



O vídeo inicia com o cartaz em fundo amarelo, com texto escrito e desenho sobre faixas brancas, primeira faixa em letras laranjas, está escrito “FESTA DA SURDOVEL”, na segunda faixa abaixo, em linhas pretas o desenho de duas mãos, da esquerda para a direita, sinal com mão direita do número “2”, e sinal com mão direita do número “0”. No círculo formado na junção das pontas dos dedos, no número "0", vê-se a logomarca colorida da associação Surdovel, e abaixo da mão lê-se “Anos” em letras pretas. Na última faixa lê-se “30 DE JULHO DE 2011”, em letras pretas. Luciano Rogério Rodrigues faz o convite na Língua Brasileira de Sinais, identifica-se e comunica o local de realização, são vistas duas fotografias do local e endereço escrito em letras amarelas, "Rua Bom Jesus, 920. Região do Lago 1", mostrando também o Salão e "Clube dos Subtenentes e Sargentos de Cascavel". Comunica o tipo de traje, surgem duas fotografias, uma com trajes masculinos, “Traje passeio ou esporte fino masculino” e o tipo de traje feminino, surgem as imagens dos trajes. Comunica o horário de realização, valor dos ingressos, etc.
Qualquer dúvida entre em contato com o celular informado acima.

sexta-feira, 8 de julho de 2011

XXII Festival de Música de Cascavel

XXII Festival de Música de Cascavel – 09 a 17 de Julho

Este ano, o SESC Cascavel tem a grande satisfação em participar como realizador deste importante evento cultural promovido pela Secretaria Municipal de Cultura – Prefeitura de Cascavel. Cascavel irá respirar música nos próximos dias! Confiram abaixo a programação:

PROGRAMAÇÃO ARTÍSTICA

09 de Julho – sábado
Abertura – Fernando Deghi – Viola brasileira
Centro Cultural Gilberto Mayer – 20h30 – entrada gratuita


10 de Julho – domingo
Lançamento CD "Ser Feliz Toma Tempo" - Guino – Cascavel
Banda Kaoll & Lanny Gordin – São Paulo
Centro Cultural Gilberto Mayer – 19h30 – entrada gratuita


11 de Julho – segunda-feira
Noite dos Corais: Coral Municipal de Cascavel, Coral Novos Cantos, Coral da Igreja Quadrangular, Coral do Exército
Centro Cultural Gilberto Mayer – 20h – entrada gratuita


12 de Julho – terça-feira
SONORA BRASIL: Sotaques do Fole – Gilberto Monteiro e Grupo
Centro Cultural Gilberto Mayer – 20h – entrada gratuita


13 de Julho – quarta-feira
Noite dos professores
Centro Cultural Gilberto Mayer – 20h – entrada gratuita



14 de Julho – quinta-feira
Orquestra Sinfônica do Paraná
Catedral Nossa Senhora Aparecida – 20h – entrada gratuita


15 de Julho – sexta-feira
Noite dos alunos
Centro Cultural Gilberto Mayer – 20h– entrada gratuita



16 de Julho – sábado
Banda/Orquestra/Coro do Festival
Centro Cultural Gilberto Mayer – 20h – entrada gratuita


17 de Julho – domingo
Grupo Musical Sollare - Curitiba
Centro Cultural Gilberto Mayer – 20h – entrada gratuita




NÚCLEO DE ESTRUTURAÇÃO

1. Manutenção de instrumentos de sopros: Arthur Pontes (PR)

Manutenção e consertos em geral agendados.

2. Manutenção de instrumentos de cordas: Leandro Mombach (PR)

Manutenção e consertos em geral agendados.


HORÁRIOS MATUTINOS

3. Regência de banda/coral e orquestra: Israel Menezes (RJ) – Das 09h às 11h

4. Didática da Flauta Doce – Ângela Sasse (PR) – Das 09h às 12h

5. Musicalização infanto-juvenil para professores – Adriana Fabro (PR) – Das 09h às 11h

6. Viola Brasileira – Fernando Deghi (SP) – Das 09h às 12h

7. Violão (popular e erudito) – Fernando Vergutz (PR) – Das 09h às 12h

8. Violino/viola avançado – Marcos de Lazzari (PR) - Das 09h às 12h

9. Violino Suzuki: Max Scheffler (PR) – Das 09h às 11h

10. Violoncelo – Will Rios (PR) ( de 13 a 16 de julho) – Das 09h às 11h

11. Contrabaixo acústico: Alisson Barros (PR) ( de 13 a 16 de julho) – Das 09h às 11h

12. Piano: Maestro Espírito Santo (SP) – Das 09h às 11h

13.Saxofone/Clarinete/Flauta transversa: Marcelo Oliveira (PR) – Das 09h às 12h

14. Prática de Metais: Fernando Deddos (PR) – Das 09h às 11h

15. Percussão: Batucada Brasileira - Vina Lacerda (PR) – Das 09h às 12h


HORÁRIOS VESPERTINOS

16. Regência de banda/coral e orquestra: Israel Menezes (RJ) – Das 14h às 16h

17. Didática da Flauta Doce – Ângela Sasse (PR) – Das 14h às 17h

18. Musicalização para alunos ( 10 a 14 anos) – Adriana Fabro (Curitiba) – Das 14h às 15h

19. Musicalização para alunos ( 05 a 09 anos) – Adriana Fabro (Curitiba) – Das 15h às 16h

20. Viola Brasileira – Fernando Deghi (SP) – Das 17h às 20h

21. Violão (popular e erudito) – Fernando Vergutz (Curitiba) –

22. Viola/Violino avançado – Marcos de Lazzari (Curitiba) – Das 14h às 17h

23. Violino Suzuki: Max Scheffler (PR) – Das 14h às 17h

24. Violoncelo – Will Rios (PR) de 13 a 16 de julho – Das 14h às 16h

25. Contrabaixo acústico: Alisson Barros (PR) ( de 13 a 16 de julho) – Das 14h às 16h

26. Piano: Maestro Espírito Santo (SP) – Das 14h às 16h

27.Saxofone/Clarinete/Flauta transversa: Marcelo Oliveira (PR) – Das 14h às 17h

28. Prática de Metais: Fernando Deddos (PR) – Das 14h às 16h

29. Percussão: Batucada Brasileira - Vina Lacerda (PR) – Das 14h às 17h


PRÁTICAS EM CONJUNTO

30. Prática de banda sinfônica – Maestro Fernando Deddos (PR) – Das 17h30 às 19h30

31. Prática de orquestra – Maestro Israel Menezes (RJ) – Das 17h30 às 19h30

32. Prática de coro adulto – Maestro Espírito Santo (SP) – Das 18h00 às 20h00

33. Prática de coro infantil – Adriana Fabro (PR) – Das 16h às 17h30

Fonte: Lysiane Baldo - Técnica de Atividades - Cultura
SESC Cascavel - (45) 3225 3828
lysianebaldo@sescpr.com.br

domingo, 3 de julho de 2011

Poema "Adiante"

ADIANTE


Não entendo vida que não seja dividida,

distribuída,

ou construída do chão até o monte,

se não alcançar o alto,

que seja em rama,

e se expanda,

até o adiante.

sexta-feira, 1 de julho de 2011

Um mundo dentre outros mundos

Fonte do texto:Rede Saci
Copiado em: 01/07/2011
Autor: Geilson de Sousa Santo



MUNDO DOS CEGOS

São Paulo - SP, 30/06/2011

Reflexões de um deficiente visual que enxerga o mundo de dentro para fora.

Geilson de Sousa Santo.

Muitas pessoas ficam impressionadas quando vem uma pessoa cega fazendo suas atividades normais! Andando, correndo, brincando, dançando, pulando, lavando uma louça, fazendo um café, etc. Ficam se perguntando: Como é que ele consegue fazer isso? Como ele consegue fazer aquilo? Ficam se adimirando, com que fazemos e falamos!

Mais o que eles mais tem curiosidade de saber é o que pensamos, o que sentimos, como percebemos as coisas, enfim, querem saber como é o nosso Mundo. Com certeza, você já deve ter ouvido falar que um cego tem o seu próprio mundo! Eles tem muita vontade de saber como é viver o mundo só escutando e tocando. Com certeza, você já deve ter ouvido isso: "Os cegos vem mais do que nós!". E com certeza, você deve ter ficado confuso. Ou então: "Eles não podem ver com os olhos mais podem ver com o coração!" Você deve está se perguntando: mas como é isso? Como eles enxergam melhor do que nós se são cegos? Para que você intenda como é isso, vou explicar.

Quando você vê um objeto, você presta atenção no modelo, na cor e no tamanho. Não é? Mais nós, cegos, quando pegamos em um objeto, prestamos atenção no tamanho, o material que ele é feito, qual é sua textura, se áspero, liso, macio, grosso, fino, mole ou duro. E se alguém descrever pra gente a cor do objeto, pronto, a nossa visão daquele objeto já está completa. É assim que vemos.

Isso é muito comum acontecer, quando uma pessoa cega fala pra uma pessoa que enxerga que lhe acha bonita, lá vem a pergunta: Como é que você sabe não está me vendo? Muitas pessoas que enxergam acham que a beleza é vista pelos olhos, o que não é verdade.

Quando você olha pra uma pessoa, e diz que ela é bonita, você está olhando o corpo dela. Se é gordo ou magro, a cor dos cabelos, dos olhos, etc.
Nós cegos vemos as pessoas da seguinte forma:

Ouvindo sua vós, quando ouvimos a voz de alguém, prestamos atenção de onde ela vem, em qual direção, em qual distância, se é alta ou se é baixa, Se é grossa ou se é fina, se a vós de homem ou de mulher, se a qué-la vós é de algum conhecido ou amigo! Prestamos atenção na tonalidade, se a vós é macia, ou uma vós raivosa, triste ou feliz, se é uma voz doce, carinhosa, irritada, cansada ou rouca! Prestamos atenção o jeito que a pessoa está falando! Se é um jeito amigo, ou inimigo. Se é querendo ajudar, ou não. Se está falando com medo ou com segurança. E você que enxerga? Presta atenção nisso? Nós cegos, podemos ver com as mãos, com os ouvidos, com o coração e com a imaginação. Com as mãos, vemos as texturas dos objetos, o material que ele é feito, o tamanho, a temperatura e o peso. Com os ouvidos, vemos o som que ele tem, se é um som alto ou baixo, grave ou agudo, rápido ou lento. Com a imaginação, imaginamos a cor que ele tem. Com o coração, vemos os sentimentos das pessoas, se são bons ou ruins, se gostam da gente ou se é só falsidade, se são amigas de verdade ou só por interesse em alguma coisa. Prestamos muita atenção nas sensações, a sensação de voar de avião, de um beijo, de um carinho, de se sentir amado, apaixonado, etc.

O objetivo desse texto é pra mostrar para as pessoas que enxergam, a forma que os cegos veem! Por favor, compartilhe esse texto com todos em sua volta e peça que eles façam o mesmo.