sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Agradeço por você ter vindo aqui!

Você ter vindo até esse blog, lido ou deixado seu comentário, me fez feliz nesse ano que termina, acredite! Boas energias para você no ano que vai começar. Saúde, paz e amor para todos!

domingo, 18 de dezembro de 2011

Cartões de Natal! - Exposição na MIDIACE

Esse ano a mensagem de Natal deste blog está em forma de cartão. A autoria da fotografia é de Leondeniz Candido de Freitas, que formatou a idéia “tocar no Natal”. Ele fotografou sua esposa no momento que ela apreciava uma decoração natalina dentro de um Shopping Center. A mensagem é "Um Toque de Natal" e a AD está na voz de Leondeniz.

Através da oportunidade da MIDIACE (Mídia Acessível - Audiodescrição), e da divulgação convidativa do Blog da Audiodescrição, referência de aprendizagem em AD no Brasil, eu, Leondeniz e Vanilda Rosa chegamos a esse resultado que você pode ouvir e/ou ver, conhecendo a exposição virtual de cartões natalinos. Clique ou toque agora.


E FELIZ NATAL PESSOAL!

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Primavera – Pintura. Uma obra de criança!

Fotografia da obra de arte de uma criança – Executada e intitulada por Gabriela. 

“Primavera”- Pintura - Tinta guache sobre papel.



Pintura. Em fundo branco, grande vaso azul com flores coloridas. Vaso centralizado ocupa metade inferior da imagem. De baixo para cima vê-se o vaso, largo na base, estreito no meio e largo na extremidade superior, sete hastes verdes de flores alinhadas lado a lado. Entre as hastes e flores grandes, pequenas flores roxas e amarelas, pontilhismo. Da esquerda para a direita as flores,1 rosa vermelha, 1 flor branca, 1 rosa vermelha, 1 flor branca, e 1 rosa vermelha. Canto inferior direito, escrito Gabriela 2011.
































Fotografia de Fabi (Mãe de Gabriela).

Gabriela tem oito anos de idade e recentemente pintou mais uma obra de arte. Incentivada por sua mãe, Gabriela executa desenhos e pinturas desde os seus primeiros anos de vida, utiliza diferentes materiais e atualmente tem se dedicado aos pinceis e tintas. Não existem os desenhos prévios executados a lápis, as imagens se formam diretamente através das pinceladas sobre o papel.

Comentando sobre o processo criativo das crianças, Fabi disse que “existe falta de sensibilidade de quem está com a criança. O conhecimento técnico deve acrescentar e não ser o ponto de partida para a criatividade, privando a criança da liberdade de criação e expressão dos seus pensamentos”.

“As crianças são crianças. As crianças fazem desenhos de criança. Pinturas e desenhos de crianças devem ser obras de crianças” (Francis Jourdain, 1953) (MORAIS, 1998).


Percepções de uma “tia”coruja – Eu.
Nas duas flores brancas, pintadas sobre o papel branco, Gabriela pintou as pétalas usando um pouco de amarelo e cinza, a técnica utilizada por ela, permitiu que as flores se sobressaíssem do fundo branco (cor do papel), sem necessariamente ter que representar a forma das flores com contornos escuros. Com esse efeito ela expressa também a luz através do amarelo e as sombras através do cinza.

Percebi semelhanças com o pós-impressionismo, em especial na obra de Paul Cézanne, que pintou um vaso azul com flores intitulando-o, “O Vaso Azul”. Gabriela não usou linhas para contornar as formas do vaso e das flores, Paul Cézanne as usou. Na obra de Gabriela, as cores e as pinceladas definem as formas do vaso e das flores, as pinceladas são visíveis e lembram o efeito produzido pelas pinturas feitas com espátula, técnica utilizada por Cézanne.

Encontrei uma imagem com descrição textual resumida da obra de Paul Cézanne, “O Vaso Azul”. Está em espanhol, leia aqui.


Quer ler sobre pós-impressionismo? Clique aqui.

Ler mais sobre pontilhismo, clique aqui.


Referência.

MORAIS, Frederico. Arte é o que eu e você chamamos arte: 801 definições sobre arte e o sistema da arte. Rio de Janeiro. Record, 1998, p. 160.

terça-feira, 15 de novembro de 2011

Fotografia “Zé do Bandoneón”

Fotografia P&B do artista paranaense, José Antônio Sholtz, ou “Zé do Bandoneón” , em fevereiro de 2011, Curitiba, PR.


Fotografia P&B. Plano médio. Sentado, homem branco, magro, idoso,camisa clara, mangas longas, usa óculos e boina, cabelo curto, liso e branco. Olha para frente, toca Bandoneón, apoiado sobre o colo encoberto com tecido preto.  Atrás do homem, calçada de pedras, parte da galeria do prédio, paredes largas, grandes arcos. Por trás do ombro direito do homem, rosto de uma mulher negra, braço direito elevado escorado no portão aberto, segura um cigarro. À esquerda, parede externa, luminária antiga apagada.






















Fotografei o artista Sr. José Antônio Sholtz, mais conhecido como “Zé do Bandoneón”, em fevereiro deste ano, durante sua apresentação, ao ar livre, na Feira de Artesanato de Curitiba, PR. Num domingo de manhã ensolarado e com brisa fresca, ouvia-se tango tocado num instrumento de fole menor que uma sanfona, ou gaita, era o Bandoneón. De onde vem essa música, quem estaria tocando? Vi um senhor elegante, me aproximei, seus olhos tinham um brilho de um jovem artista, só parou de tocar quando foi questionado sobre seu nome e seus CDs expostos para venda sobre uma maleta preta. Disse que seu nome era Antônio, mas o chamavam de “Zé do Bandoneón” e sorriu. Após comprarmos um dos CDs, continuou tocando com seu sorriso tímido, meiguice, elegância e talento. Inesquecível!

Pedi a permissão para fotografá-lo, posicionei a câmera em frente, abaixo de sua cabeça, na altura do Bandoneón. Quando a câmera é posicionada abaixo do rosto da pessoa a ser fotografada, o ângulo torna-a maior, o mesmo quando se olha alguém de baixo para cima. Esta foi a minha forma de homenagear no registro fotográfico, a grandeza de “Zé do Bandoneón”, o artista maior.
Para saber mais sobre o instrumento musical Bandoneón, clique aqui.



Para ouvir o artista “Zé do Bandoneón” e seu Bandoneón, assista um dos vídeos disponíveis no You Tube, mostrando uma de suas apresentações em Curitiba, PR. Ou acesse no link acessível, clique aqui.

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Divulgando programação do SESC Cascavel - Novembro

EXPOSIÇÃO


Horários de Visitação: Seg à Sex - 08h30 às 22h e sábados das 08h30 às 22h.


Thais Pontes é natural de Santa Catarina e começou a trabalhar com arte sacra em madeira há oito anos, quando ainda morava em Cascavel, PR. Autodidata, de uns cinco anos para cá, já residindo em Toledo, começou a trabalhar com mosaicos em cerâmica, vidros, pedras, rolhas e todo tipo de material não perecível. Há aproximadamente dois anos teve contato pela primeira vez com a vitrofusão ou fusing como também é conhecida esta técnica, e foi ‘amor à primeira vista’ com esta Arte do Fogo. O fusing veio complementar o trabalho que já era feito em mosaico enriquecendo e personalizando o mesmo da mesma forma que produz lindos e exclusivos vidros que podem ser utilizados em vitrais, luminárias, janelas ou portas. No trabalho da artista sempre esteve presente uma preocupação com o meio ambiente e com a sustentabilidade o que pode ser visto na escolha dos materiais que compõem as peças como garrafas, sobras de vidros, janelas antigas, madeira de demolição, etc. Thais Pontes já teve seu trabalho exposto em inúmeras exposições individuais e coletivas em diversas cidades paranaenses. Também desenvolve projetos artísticos junto à prefeituras, instituições públicas ou privadas, bem como arquitetos ou pessoas interessadas em seu trabalho.


Mais informações: 45 3225-3828.



SONORA BRASIL – SOTAQUES DO FOLE – ETAPA 4 – DINO ROCHA E GRUPO

Conhecido como o “Rei do Chamamé”, Dino Rocha desenvolveu sua carreira apresentando o repertório da tradição musical local sempre preocupado com a preservação de suas características mais autênticas. Acordeonista, compositor e cantor, começou a tocar sanfona aos 9 anos e aos 16 se apresentava profissionalmente com seu primeiro grupo, Los 5 Nativos, da cidade sul-mato-grossense de Ponta-Porã. Em sua carreira, apesar de ter tocado com músicos brasileiros consagrados na vertente popular, sempre privilegiou e permaneceu fiel às tradições da música regional, evitando em sua interpretação e em suas composições o uso de elementos musicais que pudessem modificar a essência e a pureza da tradição.Acompanhado dos violonistas Hugo Cesar e Tico Rocha, chamamezeiros com larga experiência como acompanhadores dos gêneros tradicionais da região, Dino Rocha apresenta no circuito do Sonora Brasil, com seu acordeão de 120 baixos, a tradição musical da região do Mato Grosso do Sul em repertório que abrange desde a chegada dos paraguaios na passagem dos séculos XIX e XX até os dias de hoje, incluindo composições suas.

Data: 16 de Novembro (quarta-feira)
Local: Sesc Cascavel.
Horário: 19h00
Participação Gratuita

Retirar convites no Sesc (Rua Carlos de Carvalho, 3367, Centro)

Sobre o projeto Sonora Brasil:

O Sonora Brasil – Formação de Ouvintes Musicais é um projeto temático que tem como objetivo desenvolver programações identificadas com o desenvolvimento histórico da música no Brasil. Pela primeira vez, em sua 14ª edição, o projeto apresenta dois temas – Sotaques do Fole e Sagrados Mistérios: vozes do Brasil – que serão desenvolvidos no biênio 2011/2012, com a participação de quatro grupos em cada tema. Em 2011, o primeiro tema circula pelos estados das regiões Sul e Sudeste, enquanto o segundo segue pelos estados das regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste. Em 2012, na 15ª edição, procede-se a inversão para que os grupos concluam o circuito nacional. Com essa nova metodologia, o projeto passa a ter um planejamento bienal, contando com a participação de oito grupos, em circuitos com duração de aproximadamente 70 dias em cada ano.

Sotaques do Fole apresenta o acordeão em suas variantes regionais ligadas à tradição oral, trazendo a gaita-ponto , com o músico Gilberto Monteiro (RS), a sanfona de oito baixos , com o músico Truvinca (PE), e o acordeão de 120 baixos , com Dino Rocha (MS). Fazendo um contraponto com a tradição oral, o projeto traz o duo de acordeões Ferragutti/Kramer, que apresenta composições modernas e contemporâneas relacionadas à música de concerto e a outras formas ligadas à vertente acadêmica.

Sagrados Mistérios: vozes do Brasil apresenta repertório da música vocal presente nas festividades populares em devoção às entidades religiosas, trazendo os cânticos das Caixeiras do Divino (MA), da Comitiva de São Benedito da Marujada de Bragança (PA) e da Banda de Congo Panela de Barro (ES). Representando a música de concerto, o Quarteto Colonial (RJ) apresenta repertório composto pelos mestres de capela para o ofício religioso da igreja católica e a obra de compositores modernos e contemporâneos inspirada nesse universo.

Em cumprimento à sua missão de difundir o trabalho de artistas que se dedicam à construção de uma obra de fundamentação artística não comercial, o Sonora Brasil consolida-se como o maior projeto de circulação musical do país. Em 2011, são 420 concertos, em 110 cidades, a maioria distante dos grandes centros urbanos. A ação possibilita às populações o contato com a qualidade e a diversidade da música brasileira e contribui de forma significativa para o conjunto de ações desenvolvidas pelo SESC visando à formação de plateia. Para os músicos, propicia uma experiência ímpar, colocando-os em condição privilegiada para a difusão de seus trabalhos e, consequentemente, estimulando suas carreiras. O projeto Sonora Brasil busca despertar no público um olhar crítico sobre a produção e sobre os mecanismos de difusão de música no país, incentivando novas práticas e novos hábitos de apreciação musical, promovendo apresentações de caráter essencialmente acústico, que valorizam a pureza do som e a qualidade das obras e de seus intérpretes.

Fonte:
LysianeBaldo@sescpr.com.br

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Poema “TERRAS VIVAS”

TERRAS VIVAS


Na terra que escolho, piso alegremente.

Na terra que me acolhe, piso firmemente.

Na terra que me encolhe, piso levemente.

Na terra que me encobre, fertilizo-a.

Cenas de feira – Fotografia e poema

A imagem abaixo é a cópia de uma fotografia feita em 1989 na feira de Campina Grande (PB), com câmera fotográfica analógica, durante um curso de fotografia.

A fotografia original P&B foi colorida para sépia, usando programa de manipulação de imagens, num resgate de um processo químico feito em laboratório fotográfico, quando a fotografia P&B é revelada em papel e novamente submetida à viragem em sépia.

Uma fotografia em “sépia” mostra uma imagem numa tonalidade amarelada escurecida, próxima ao marrom.


Sobre "sépia", leia mais.

Em primeiro plano são vistos, centralizado na parte inferior da imagem, de costas, cabeça de um menino voltada para o lado esquerdo, à direita do menino, homem jovem com grande balaio vazio sobre a cabeça e no lado esquerdo, em fila indiana, de frente, parte do rosto de uma mulher de cabelos curtos e lisos olhando para baixo, uma mulher de cabelos curtos e crespos e um homem calvo, estão sérios. Ao Fundo desfocados, estruturas das barracas em madeira, lonas, roupas penduradas à direita, e mais pessoas.
Sobre a feira de Campina Grande, leia mais.


Poema para muitas feiras:


NA FEIRA


Ê, olha a banana maçã!
Banana na feira é melhor, é melhor!

“Freguesia bonita não paga, mas também não leva!”
Leva não!

Compra o feijão, é novinho, é novinho!
Olha o abacaxi, é esse daqui, é docinho!
Comprado na feira é melhor!
Mais barato que mamão do melhor!
Pode confiar!


Fritou, fritou!
Pastel de feira é melhor!
É melhor sim senhor!
Ê ô!
É melhor!

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Curso de Fotogafia da FAG – Cascavel,PR.

Curso de Fotografia da FAG passa a oferecer aulas de Photoshop.

O tradicional curso de fotografia da FAG, que já está em sua 10ª edição, começará a ofertar aulas também para tratamento de imagens no Photoshop.

O curso de fotografia da FAG amplia suas atividades e oferece agora o curso de tratamento de imagens em Photoshop. O principal objetivo do curso é familiarizar o aluno com o universo do tratamento de imagem, ensinar técnicas, dar dicas e apresentar possibilidades de utilização do programa para fotógrafos amadores ou até mesmo profissionais que não tenham ainda conhecimento sobre o Software. Segundo o professor do curso de Fotografia e responsável por promover as aulas de photoshop, o jornalista Ralph Willians, o novo curso também terá atividades práticas. “O aluno fará exercícios fotográficos práticos em ambientes externos, estúdio e dentro do laboratório de informática para aprimorar estas imagens”, detalha o professor.

O curso será ministrado pelo professor Rodrigo Perim Santos, graduado em Ciência da Computação e especialista em MBA em Marketing e Propaganda. Atualmente Rodrigo é gerente de impressão da Tuicial Indústria Gráfica e professor titular da FAG. Tem experiência na área de Comunicação, com ênfase em Propaganda Comunicação Visual e Impressa e Designer Gráfico. Além disso, Rodrigo já trabalhou em Agências de Publicidade e possui diversos cursos na área de tratamento de imagens em São Paulo e Curitiba.

As aulas serão nos dias 12 e 19 de novembro, durante o dia todo. O investimento é de R$ 150,00 e as inscrições para as aulas podem ser feitas pelo site http://www.agecin.com.br/fotografia/. Mais informações podem ser obtidas pelos telefones (45) 8808-8838 ou (45) 3321.3961.

Fonte: Portal FAG

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Divulgando SESC Cascavel - Outubro

MÚSICA DE CÂMARA – ETAPA III – GRUPO BRASIL EM 4

O Brasil em 4 é formado por Rosana Moraes Erthal (flauta), Gilberto de Queiroz (saxofone alto), Natanael Fonseca (violão) e Francisco Chagas (violoncelo). Essa formação surgiu com o objetivo de interpretar obras de compositores brasileiros, a partir de transcrições e arranjos, uma vez que é difícil encontrar obras escritas especificamente para essa formação instrumental. O grupo se destaca pela sonoridade e harmonia resultante da utilização destes instrumentos muito conhecidos no choro, música genuinamente brasileira. Ao interpretar compositores como Villa-Lobos, Osvaldo Lacerda, Radamés Gnatalli, Guerra-Peixe, e outros, levam o público a uma audição curiosa e interessada, fruindo a arte de forma descontraída e alegre.

Data: 26 de Outubro (quarta-feira)
Local: Auditório do Senac - Rua Recife, 2283
Horário: 20h00
Participação Gratuita


Sobre o projeto:

O Projeto Música de Câmara, realizado pelo Sistema Fecomércio Sesc Paraná, apresenta uma série de concertos que buscam agregar conhecimento e valorização da cultura musical brasileira. A música do Brasil, rica e diversificada quanto a estilos, gêneros, ritmos e formas, precisa ser ouvida e conhecida em seu contexto, bem como os seus compositores.

Comprometido com a temática de apresentar, exclusivamente, obras de compositores brasileiros, o desenvolvimento do Projeto Música de Câmara prevê dois momentos de integração com a comunidade. Além dos concertos proporcionados ao público em geral, que estreita a relação entre desenvolvimento musical e desenvolvimento intelectual, são realizados concertos didáticos para escolas agendadas, aproximando a música brasileira das crianças e adolescentes. A somatória desses dois momentos contribui de forma significativa para o conjunto de ações desenvolvidas pelo Sesc com vistas à formação de platéia. Vale ainda ressaltar que a opção de desenvolvimento de um projeto musical camerístico, visa o incentivo de novas práticas e novos hábitos de apreciação musical, pois as apresentações acontecem em caráter intimista, essencialmente acústico que valorizam a pureza do som e a qualidade das obras e de seus intérpretes.

Mais informações: 45 3225-3828.

Fonte:
LysianeBaldo@sescpr.com.br

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

No mês de Outubro o Sesc Cascavel está repleto de atividades culturais gratuitas!

Confira a programação:
CINESESC – MOSTRA CINEMA DE ANIMAÇÃO – Especial Semana da Criança

Data: 11, 13 e 14 de Outubro.
Local: Salão Social – Sesc Cascavel.


11 de Outubro – terça-feira
Filme: As Aventuras de Azur e Asmar (dir. Michel Ocelot, 2005, França, 99 min)
Horário: 14h


13 de Outubro – quinta-feira
Filme: As Bicicletas de Belleville (dir. Sylvain Chomet, 2003, França, 80 min)
Horário: 14h


14 de Outubro – sexta-feira
Filme: Deu a louca na Chapeuzinho (dir. Cory Edwards, 2005, Estados Unidos, 81 min)
Horário: 15h
Participação gratuita


DRAMATURGIA – LEITURAS EM CENA

São 11 anos de Sesc Dramaturgia, projeto de relevância no cenário das artes cênicas pelo viés dos estudos acerca do texto dramático. O projeto é fundamental para o desenvolvimento de grupos locais, atuando junto a artistas em fase inicial, atores profissionais e todos aqueles que de alguma maneira vivenciam a ação cultural do Sesc. Realizado em duas etapas complementares, o Dramaturgia alia com maestria o caráter formativo a um universo de possibilidades poéticas em torno da palavra em cena Numa primeira etapa atores e diretores junto a um especialista da área, reúnem-se para desbravar os territórios da escrita cênica. É a oficina de análise de textos, um recurso determinante para a formação de elencos que levarão a público às obras selecionadas para compor o ciclo temático. Na segunda e última etapa, o público é convidado a conhecer os resultados desse laboratório da palavra a partir das leituras dramáticas realizadas nas unidades do Sesc em diversos locais das comunidades.

1ª Etapa

Oficina – A Literatura pós-dramática de Heiner Muller, com Daiane Dordete – UDESC – Sc.
Data: 13, 14, e 15 de Outubro.
Local: Sesc Cascavel.
Horário: dias 13 e 14 - das 18h30 às 22h30 e dia 15 – das 14h às 18h.
Participação gratuita
Vagas limitadas
Necessário fazer inscrição – 45 3225-3828, com Lysiane.



SONORA BRASIL – SOTAQUES DO FOLE – ETAPA III – DUO FERRAGUTTI/KRAMER

Trazendo o repertório composto para música de concerto e outras formas de apropriação da linguagem do instrumento relacionadas à música urbana como choros, suítes e concertos, temos o Duo Ferragutti Kramer composto por dois dos principais acordeonistas da atualidade com extensa participação em produções de artistas importantes no Brasil e no exterior. Toninho Ferraguti músico, compositor e arranjador, natural de Socorro, no interior do Estado de São Paulo, formado pelo Conservatório Gomes Cardim, em Campinas foi indicado ao Grammy Latino no ano 2000 na categoria de música regional por seu primeiro CD solo, Sanfonemas, Alessandro “Bebê” Kramer compositor, instrumentista, finalista do prêmio Visa 2004. É gaúcho natural de Vacaria, e mora atualmente no Rio de Janeiro.

Data: 17 de outubro (segunda-feira)
Local: Centro Cultural Gilberto Mayer (Rua Duque de Caxias, 379)
Horário: 20h00
Participação Gratuita


MÚSICA DE CÂMARA – ETAPA III – GRUPO BRASIL EM 4
O Brasil em 4 é formado por Rosana Moraes Erthal (flauta), Gilberto de Queiroz (saxofone alto), Natanael Fonseca (violão) e Francisco Chagas (violoncelo). Essa formação surgiu com o objetivo de interpretar obras de compositores brasileiros, a partir de transcrições e arranjos, uma vez que é difícil encontrar obras escritas especificamente para essa formação instrumental. O grupo se destaca pela sonoridade e harmonia resultante da utilização destes instrumentos muito conhecidos no choro, música genuinamente brasileira. Ao interpretar compositores como Villa-Lobos, Osvaldo Lacerda, Radamés Gnatalli, Guerra-Peixe, e outros, levam o público a uma audição curiosa e interessada, fruindo a arte de forma descontraída e alegre.

Data: 26 de Outubro (quarta-feira)
Local: Auditório do Senac (Rua Recife, 2283)
Horário: 20h00
Participação Gratuita

Fonte: Lysiane Baldo
Técnica de Atividades - Cultura
SESC Cascavel - (45) 3225 3828
lysianebaldo@sescpr.com.br

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

“Ser Pensante”

O “Ser Pensante” é a materialização de idéias compartilhadas com Deborah Prates do Blog Deborah Prates e Lu Jordão do Blog Duas Moda e Arte. Experimentei materializar a idéia do objeto preconcebida por Deborah, modelei em “massa de biscuit” com acabamento em verniz. Foi enviado para Deborah sem a descrição textual, chegando a suas mãos ela fez a descrição.

Na “descrição com as mãos”, como ela denominou, Deborah Prates define o objetivo da criação do “Ser Pensante”.

Abaixo as três fotografias do objeto (“escultura”).

Na primeira fotografia o Ser Pensante está vazio. Conheça-o em detalhes na “descrição com as mãos” feita por Deborah Prates abaixo da imagem.

Fotografia colorida em primeiro plano do Ser Pensante visto de frente. Sobre fundo claro é visto o objeto bege com brilho. Continue lendo a descrição textual desta imagem em - Descrição com as mãos por Deborah Prates - logo abaixo














DESCRIÇÃO COM AS MÃOS POR DEBORAH PRATES - "SER PENSANTE":

Escultura produzida pela artista "ROSA SANTOS", em massa de biscuit na cor creme, com 10 cm de diâmetro e 4,5 cm de altura. Imaginemos uma xícara para chá de boca bem aberta com lateral de 1 cm. Parte interna lisa, profunda e com um furo falso no centro da superfície. Do lado externo estão as orelhas em forma de grão de feijão avantajada postas quase rente com a borda, havendo um afundamento côncavo lembrando a humana. Os dois bracinhos despontam da base bem debaixo das orelhas. Os antebraços (2 cm) seguem para fora em ângulo aberto com os cotovelos sendo ligeiramente marcados. Os braços são pequenos com aprofundamento dos punhos com as mãos - proporcionalmente bem grandes - em formato de leques com os cinco dedos bem definidos, estando os médios rentes a borda. Olhos protuberantes, grandes, redondos, fechados (com um corte ao meio e em sentido diagonal) posicionado entre as mãos. Na metade dos olhos começa o nariz proeminente. Fino em seu marco inicial e num redondo avolumado ao final. Uns 2 mm abaixo está a boca com grossos lábios, aproximando-se dos nossos. Eis o "SER PENSANTE" com todas as suas partes bem perceptíveis ao tato. A idéia foi dar ao interlocutor uma recepção introspectiva do ser humano que começa a compreender que a "SUSTENTABILIDADE HUMANA" é a grande saída para a perpetuação da espécie nesse Planeta, onde somos apenas HÓSPEDES!

A segunda fotografia mostra que o “Ser Pensante” também é funcional, o seu cérebro é literalmente verde, são vistas pequenas plantas verdes dentro do “espaço côncavo”, descrito por Deborah Prates.

Fotografia colorida em primeiro plano do Ser Pensante. Sobre fundo claro é visto de frente o objeto bege com brilho, dentro da área côncava, se estendendo na parte superior externa do objeto, pequenas plantas, folhas verdes escuras em formas arredondadas, outras folhas verdes claras finas e alongadas, pequenas e grandes. Folhas arredondadas caem para os lados e encostam nas laterais do objeto.
























A terceira fotografia mostra a vista superior do “Ser Pensante” e o furo descrito por Deborah.

Fotografia colorida em primeiro plano do Ser Pensante. Sobre fundo claro é visto de cima o objeto bege com brilho e a área côncava com um furo circular centralizado.
O objeto e seu significado - O “Ser Pensante” é semelhante a um pequeno vaso de plantas, tem seu “corpo”, a grande cabeça, apoiado pelos dois braços nas laterais, dobrados encostam as mãos em cada lado da cabeça, assumindo a posição de um eterno pensador. A forma orgânica e sua função de suporte para pequenas plantas o torna um objeto lúdico, podendo ser usado por seres humanos de todas as idades, que reflorestam seus cérebros com boas idéias, semeiam em si bons pensamentos, e como diz Deborah, “que formam uma grande rede de solidariedade” onde todos se permitam envolver-se como a Lu Jordão com a “sustentabilidade humana”. Por mim aqui a minha contribuição na disseminação dessas idéias e práticas. Porque eu quero meu cérebro verde!

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Fotografia poetizada – A PORTA e o POEMA DE PORTA SEM PONTO

Fotografia "A Porta"

Fotografia P&B. É vista de baixo para cima, em quase sua totalidade, uma porta aproximadamente fechada. A imagem da porta está mais larga em baixo afinando-se para cima. A porta e parte do teto escurecido estão levemente inclinados para a direita da imagem, mais claras estão as paredes ao redor da porta, e quase brancos, a porta, o trinco no lado esquerdo e os perfis. A iluminação mais clara no lado superior direito e laterais externas dos perfis, mostra a geração de sombra dos perfis e do trinco na porta.































POEMA DE PORTA SEM PONTO

Nem toda porta é torta
Nem toda porta abre

Nem toda porta bate
Nem toda porta fecha


Nem toda porta emperra no meio do caminho
Nem toda porta protege um pequenino niño


Nem toda porta é entrada
Nem toda porta enquadra a verdade interior

Nem toda porta é saída
Nem toda porta salvaguarda com porteiro descontente

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Deborah Prates - Atitude rock’n roll em defesa da acessibilidade no “Rock in Rio 2011”

A gravura poderia ser a capa de um CD (Compact Disk) ou de um LP (Long Play), mas não é. É a minha interpretação imagética inspirada na atitude “rock’n roll” de Deborah Prates, diante da sua experiência no festival de música “Rock in Rio 2011”.

Gravura utilizando fotografia colorida de uma autoretrato de Deborah Prates.

Gravura quadrada colorida com moldura fina e branca. Fundo preto. Centralizado e delineado em branco, busto em perfil de uma mulher voltado para o lado esquerdo da imagem, cabeça reta, olhar firme, cabelos cacheados, brinco pendurado na orelha. Frase em letras brancas contorna em curta distância o perfil da mulher, acima da cabeça até o peito está escrito: SOMOS TODOS ANJOS DE UMA ASA SÓ. PRECISAMOS NOS ABRAÇAR PARA PODER VOAR! Sobre toda a gravura vê-se o texto de Deborah Prates nas cores do arco-íris.












 




Abaixo a crônica escrita e enviada por Deborah Prates, compartilhando sua experiência conosco.

POR UM MUNDO "PIOR" PARA TODOS!

Coração batendo a mil na manhã do dia 23/9, ainda mais com a previsão de tempo chuvoso no 1º dia do ROCK IN RIO. Uma honra curtir com minha filhota de 17 anos esse momento que, há tempos atrás, tinha experimentado. Como cega tratei logo de conferir a acessibilidade para que tudo continuasse encantador. Então, foi que tremi nas bases com o que percebi que iríamos enfrentar. O clima mudou para o de enduro. Com base na nossa legislação - ante a dificuldade/irregularidade do terreno - foi que tentamos com vários taxistas chegar ao portão do evento. Os guardas locais disseram NÃO em quaisquer hipóteses. Desumano, já que o terreno é totalmente irregular para qualquer deficiência. Fingem desconhecer os Organizadores a lição do filósofo Aristóteles que sugere sejam tratados os desiguais na medida de suas desigualdades. Até o 1º portão tivemos que andar 1,5 km. Sozinha não conseguiria. Pesquisamos no site e ficamos felizes com a existência de um portão especial. Remetia ao último portão do lado esquerdo extremo, tomando-se a entrada principal da Cidade do Rock. Como saber qual o último portão? Um cego jamais o encontraria! Ao encontrar o portão principal, perguntamos pelo especial. Claro que eu poderia entrar pelo principal, mas quis o meu! Nem os seguranças - com rádio - souberam informar. Diziam: "ACHO que fica lá na frente! Vocês vão andando que, certamente, é para lá"! Perguntei se havia alguém para caminhar com o deficiente até o local. Óbvio que não! O fluxo das pessoas terminou no principal, onde todos entraram. Daí por diante fomos na sorte. Loucura! Quase desistindo, um novo preposto disse ser "PASSANDO AQUELE VIADUTO"! Que alegria! Ao entregarmos os ingressos indagamos pelo banheiro mais próximo. Ouvimos: "NEM IMAGINO! ACHO QUE É ALI DEBAIXO DA RODA GIGANTE"! Minha filha foi quem avistou um químico. O local para lavar às mãos era fora e com um bom degrau. Naquela pia não havia rampa. Talvez em outras! Ainda com fôlego tentamos chegar ao local destinado aos CADEIRANTES, dando direito a um acompanhante. Absurdo! Será que os outros segmentos não tinham igual direito?

Como cega também quis achar esse paraíso! Mais de dez prepostos não souberam encontrar o setor. Até nos estandes perguntamos e as respostas pareciam combinadas: "VAMOS CHAMAR UM PROMOTOR DO EVENTO". Desistíamos de esperar. E a festa rolava. Novamente tivemos que vestir a fantasia de "BOBOS DA CORTE"! Um BOMBEIRO informou que estava no evento desde a sua CONSTRUÇÃO e desconhecia esses locais. Aduziu que vários cadeirantes e deficientes já haviam lhe feito a mesma pergunta. Constrangido, disse que FISICAMENTE esses locais não existiam. MUITO GRAVE A INFORMAÇÃO! As toneladas de som ecoavam. A galera cantava! Para minimizar os acidentes geográficos do terreno, rampas revestidas com grama artificial foram feitas sem o menor critério de acessibilidade. Sim. De qualquer maneira! "EEE, VIDA DE GADO... POVO MARCADO. POVO FELIZ"! Algumas permitiam acesso aos cadeirantes, outras nem mesmo para os cegos com suas bengalas! Propaganda feia e enganosa dos DRS. Organizadores! Constatamos total falta de acessibilidade física, de informação/comunicação e atitudinal. Falso é o slogan: "POR UM MUNDO MELHOR PARA TODOS". Ao invés de alardearem plantio de árvores, deveriam os organizadores REFLORESTAREM OS PRÓPRIOS CÉREBROS! Dever-se-ia investir na "SUSTENTABILIDADE HUMANA"! Bem, no tom: "ME ENGANA QUE EU GOSTO", mais consistente para o Planeta seria repetirmos o antônimo da proposta, qual seja: POR UM MUNDO "PIOR" PARA TODOS! QUERO MEU CÉREBRO VERDE!


Carinhosamente,

DEBORAH PRATES - (Advogada, usuária de cão guia, Delegada da CDPD/OAB/RJ)

No twitter: @deborah_jimmy

E-mail:
deborahbprates@gmail.com

Blog: www.deborahpratesinclui.blogspot.com



*** REFLITAMOS SOBRE UM PENSAMENTO DE AUTOR DESCONHECIDO: "SOMOS TODOS ANJOS DE UMA ASA SÓ. PRECISAMOS NOS ABRAÇAR PARA PODER VOAR"!


sexta-feira, 23 de setembro de 2011

“Mulheres” em vídeo – Uma experiência audiovisual entre amigos

“Mulheres” em vídeo – Uma experiência audiovisual entre amigos

Inicio agradecendo ao Leondeniz Candido de Freitas (Diniz) pelo encorajamento e grande parceria. Diniz é um profissional em locução e narração, criador do Site Mundo Cegal e do Blog do Diniz, e dividiu comigo a audiodescrição do vídeo "Mulheres", desde o desenvolvimento do roteiro, é dele a autoria e direção dos áudios das narrações, e a pesquisa de dois sons para o vídeo, “a sineta” e “o teclado”, doando também sua voz e talento.

À Vanilda Rosa que também doou sua voz nas narrações da audiodescrição, a voz feminina de "mulher para mulher", alternando-se numa troca harmônica, com a voz masculina de Leondeniz.

Ao meu professor de Libras, Júlio Marcos de Souza, pelas dicas nas legendas. O desejo de experimentar a Libras faz parte de um futuro breve. Mas nesse momento esperamos que a legenda atinja o objetivo de tornar o vídeo acessível para a pessoa Surda. Conheça o blog Surdo Vermelho.


Ao acessível Paulo Romeu Filho, por suas palavras carinhosas nos dando a honra da divulgação do vídeo no Blog da Audiodescrição, cuja leitura diária me tornou uma “apaixonada” pela audiodescrição. Paulo Romeu é um dos organizadores do primeiro livro sobre audiodescrição no Brasil, junto com a professora, pesquisadora e audiodescritora, Lívia Maria Villela de Mello Motta. Leia e conheça o livro Audiodescrição – Transformando Imagens em Palavras e os currículos dos organizadores.

Ao professor Vergara Nunes pesquisador da audiodescrição, pela divulgação da nossa experiência também nos dando a honra de incluí-lo na sua coletânea de vídeos com audiodescrição. Conheça o banco de vídeos com AD no Blog Audiodescrição em Vídeo.


E todos que comentaram sobre o vídeo, no You Tube, Twitter, e-mail, recriando a nossa experiência através de seus “olhares”. Colhemos seus comentários com carinho.

Acreditando na arte como um veículo de transformação, um meio onde se pode transgredir, experimentando linguagens, experimentamos a audiodescrição e as legendas.

Não fizemos nada extraordinário, os recursos visuais foram muito simples, criados com o programa Windows Movie Maker, mas para mim foi um grande aprendizado! A prática é mais que uma confirmação da teoria.

Tentamos abordar a violência doméstica na fotografia de autor (ou fotografia criativa), que “fala silenciosamente” sobre a violência contra a mulher.

Os outros dois sons foram gravados e criados por mim de forma rudimentar, o estouro do vidro não há segredos, mas as notas musicais no início do vídeo é uma música inacabada, numa analogia às vidas interrompidas pela violência. A música foi extraída de taças de vidro com volumes diferentes de água. Experimental mais que isso impossível.

Divulgamos no final do vídeo o Site de Políticas para Mulheres do governo federal brasileiro, onde também se encontra a Lei Maria da Penha, lei de combate à violência doméstica, concluindo no vídeo o que pode ser o início para muitas mulheres, é a nossa contribuição em forma de arte no exercício da cidadania.


Leia mais sobre nossa experiência no Blog do Diniz.

Conheça abaixo o vídeo na versão com AD e legendas, ou acesse neste link acessível.





Abaixo, a descrição textual da fotografia narrada no vídeo por Leondeniz:

Fotografia em preto e branco. Em primeiro plano uma cabeça de mulher por trás de flores. Ocupando a metade inferior da imagem, flores iluminadas, com pétalas compridas e pontas arredondadas. Estão brancas. Na metade superior da imagem, por trás das flores, vê-se o rosto desfocado de uma mulher, levemente inclinado para a esquerda da imagem. Os olhos e face direita estão encobertos pela sombra. A luz branca à direita da imagem, ilumina a face esquerda, o nariz e parte dos cabelos lisos. Atrás da mulher o fundo é fosco e pouco iluminado.


Abaixo, o texto das legendas:


[som um toque de sineta]
[som de oito notas musicais]
[audiodescrição voz de Leondeniz]

[som um toque de sineta]
[audiodescrição voz de Leondeniz]

[som um toque de sineta]
[audiodescrição voz de Leondeniz]

[som um toque de sineta]
[audiodescrição vozes de Vanilda e Leondeniz permutadas em sequência]

[som um toque de sineta]
[som vidro quebrando repetido duas vezes]
[audiodescrição voz de Leondeniz]

[som um toque de sineta]
[som de teclado de computador]
[audiodescrição vozes de Vanilda e Leondeniz permutadas em sequência]

[som de teclado de computador]

terça-feira, 13 de setembro de 2011

Deborah Prates

Deborah Prates inclui amigos e parceiros, inclui idéias, inclui-se na vida sem medo de ser feliz, incluiu-se na luta por um mundo melhor para todos, substituiu seus olhos rapidamente nesses últimos cinco anos pelo olhar de uma mulher guerreira, está com seu blog novinho em folha, ou em flores, com a criatividade e dedicação da Lu Jordão do Blog Duas Moda e Arte  também presente nessa parceira de idéias e ações. Quer conferir? Deborah Prates, Jimmy, suas lutas, sua vida, suas idéias, suas ações e seu amor pela vida, leia no Blog Deborah Prates.

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Divulgando a 1ª MISSA COM TODOS OS RECURSOS DE ACESSIBILIDADE

Nota do blog - Este blog tem um compromisso com a acessibilidade e compreende que independente de credo ou religião, este é um bom exemplo a ser seguido e continuado. A Missa será realizada no Rio de Janeiro.

Enviado por Deborah Prates:

1ª MISSA COM TODOS OS RECURSOS DE ACESSIBILIDADE


Há católicos que não frequentam a nossa Igreja por simples razões a saber: Os cadeirantes informam que as suas cadeiras de rodas não passam pelos espaços garantidos à circulação. Os cegos reclamam que não conseguem ter o global entendimento dos fatos que acontecem na Missa. Os Surdos e cegos/surdos também não têm como participar prazerosamente dos encontros nas Igrejas em geral. Até para os idosos têm reclamações quanto a mobilidade, audição e visão nas cerimônias. Hão, outrossim que igualmente ser computados como excluídos das cerimônias as pessoas com deficiência intelectual, idosos e disléxicos.

Diante dessa breve explanação e por serem os católicos 57% (censo demográfico 2000) da população é que cumprirá ao nosso admirado e estimado "D. ORANI" celebrar a PRIMEIRA SANTA MISSA TOTALMENTE ACESSÍVEL NA nossa "CATEDRAL". Sem titubeios foi que "D. ORANI" disse SIM ao ouvir a solicitação e marcou a cerimônia para o DIA 23/SETEMBRO/2011, ÀS 10:00H., NA "CATEDRAL".

De forma concisa, a AUDIODESCRIÇÃO é a TRANSFORMAÇÃO DAS IMAGENS EM PALAVRAS. Com esse importante recurso de acessibilidade o cego pode, verdadeiramente, sentir-se INCLUÍDO no contexto dos acontecimentos ao mesmo tempo que as pessoas SEM deficiência visual. Vale frisar que a audiodescrição amplia também o entendimento de pessoas com deficiência intelectual, idosos e disléxicos.

A presença de intérpretes de LIBRAS também se faz obrigatório com os demais recursos, a fim de que as pessoas surdas também usufruam igual direito as INFORMAÇÕES em condições de IGUALDADE com todos os demais.

Algumas providências bem mais simples hão que ser tomadas, de modo a beneficiar o trânsito/acesso/circulação das pessoas com mobilidade reduzida, tais como os cadeirantes, usuários de bengalas, de muletas e outros meios de locomoção. Para tanto hão que ser redimensionados os espaçamentos entre os bancos, bem como deverão ser observadas se as rampas de acesso permitem a esse seguimento uma afluência confortável, sem constrangimentos/impedimentos. Por mais esse contexto é que foi escolhida a "CATEDRAL", vez ser uma Igreja de construção moderna, o que facilita o conforto nesses aspectos.

Algumas Instituições estão apoiando a iniciativa, pelo que a sua participação será imprescindível na inteiração da semana da conscientização da sociedade na "LUTA DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA". Pedimos a divulgação dessa iniciativa de amor e solidariedade. Convide o seu vizinho, amigo, colega de trabalho, ...

DEBORAH PRATES (delegada da CDPD/OAB/RJ)

Conheça mais Deborah Prates, leia Blog Deborah Prates.  

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Poema "FELICIDADE DENTRO DA GENTE"

Um poema pra gente.


FELICIDADE DENTRO DA GENTE

Vou me encher de ternura
pensar na flor, na tanajura
nas calçadas riscadas de giz
onde pés infantis pulam descalços.

Vou me encher de silêncio
e ouvir o barulho escondido
lá no fundo do ouvido
da minha melhor gargalhada.

Vou me encher de felicidade
e saber que nessa idade
ainda há gente ternura,
gente sorriso,
gente amizade.

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Poema "Cascavel"



CASCAVEL

Cobra teimosa

pintou-se em cor e rosas
bem antes da primavera.
Soprou seu vento forte
encheu do sul ao norte
as calçadas de flores belas.

Cascavel mulher vaidosa
desafia a natureza
e se mostra com a riqueza
e assusta o assustado
que por ela foi conquistado
hipnotizadora destreza.

domingo, 7 de agosto de 2011

Divulgando SESC Cascavel: Autores & Ideias- Bate-papo com Autor – Oficinas – Workshop

Autores e Ideias
Ciclo de debates

Escritoras convidadas: Adriana Lunardi e Cintia Moscovich

Data: 18 de Agosto
Horário: 20h00
Local: Auditório do Senac (Rua Recife, 2283)

Participação Gratuita
Retirar convites antecipadamente no Sesc (Rua Carlos

de Carvalho, 3367)

O ciclo literário Autores & Ideias, do Sesc PR, chega à sua segunda edição com novidades. Diferentemente dos encontros realizados em 2010, em que os autores convidados discutiram as relações entre a literatura e o ciberespaço, em 2011 o universo temático das mesas redondas foi ampliado: a cada mês, dois autores debatem um tema diferente, pelo viés da literatura. O ciclo percorrerá dez cidades do Estado, o dobro do ano passado.

Os encontros são realizados mensalmente. Em agosto, é a vez de Cintia Moscovich e Adriana Lunardi refletirem sobre o papel das escritoras brasileiras na mesa “Vozes femininas. Quem são as escritoras brasileiras mais interessantes do momento? Que temáticas perpassam sua literatura? É mesmo fundamental buscar uma voz e um olhar especificamente femininos na obra destas autoras?

Com curadoria da jornalista Mariana Sanchez e realização do Sesc PR, o Autores & Ideias trará diferentes vozes da literatura brasileira atual para mais perto dos leitores em 2011. Além das mesas redondas, haverá ainda oficinas e workshops relacionados aos temas do evento. As atividades são gratuitas e acontecem nas unidades do Sesc em Curitiba (Paço da Liberdade), Londrina, Maringá, Pato Branco, Cascavel, Paranaguá, Francisco Beltrão, Ponta Grossa, Paranavaí e Umuarama.


Fonte: LysianeBaldo@sescpr.com.br

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

Fotografando com um olho mágico

Criar outras possibilidades de experimentação na fotografia foi o que me ocorreu no momento que encontrei um “olho mágico”, estava perdido numa caixa de ferramentas, fora retirado de uma porta, estava com a lente um pouco riscada, mas me ofereceu a possibilidade de experimentá-lo como uma segunda lente na câmera, e o resultado foram imagens bem interessantes. Bem, não fiz nenhuma descoberta, o que surpeende são os resultados. 

O olho mágico foi posicionado em frente à lente da câmera fotográfica, delicadamente, segurado com uma das mãos, sem nenhuma fixação. O resultado são fotografias em formato circular. A imagem fica deformada e se "acomoda" dentro da área num efeito interessante, como em fotografias feitas com lente grande-angular, leia mais sobre lente grande-angular. As possibilidades de leitura das cenas fotografadas é a grande diversão. 

Houve vazamento de luz ao redor da imagem circular, a luz penetrou através da lente e borrões da imagem foram refletidos dentro do tubo preto do olho mágico, deixei como parte da experimentação, funcionou como uma moldura circular.

Aqui estão duas fotografias, experimente também e divirta-se!

Fotografia colorida. Imagem circular no centro de um retângulo preto. Preenchendo quase toda a área circular, vê-se pequena árvore de folhas verdes escuras, com várias flores grandes cor-de-rosa e brancas, distribuídas na copa arredondada, não se vê o tronco. As flores da frente estão maiores, ampliadas, é a distorção do efeito da lente. Abaixo da árvore grama verde. Atrás da árvore, na área superior da imagem circular, vê-se parte de janelas e telhado de uma casa grande e o céu azul.

Fotografia colorida. Imagem circular de uma paisagem centralizada em um retângulo preto. Na metade inferior da imagem vê-se o lago e na metade superior o céu com nuvens brancas. Entre o céu e o lago, vê-se uma faixa distante de vegetação desfocada.  Na lateral esquerda, deformadas, a margem do lago com grama verde e árvores desfocadas. De frente, à esquerda, enfileiras, fixadas na grama e no lago,onze toras de madeira escura. No lado direito, sobre as águas, duas passarelas flutuantes de madeira escura.

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Divulgando Audiência Pública – Debates sobre “Educação Inclusiva” no Rio de Janeiro

Recebi da amiga Deborah Prates o convite e divulgo para os leitores aqui no blog. O evento será realizado no Rio de Janeiro, mas é um momento para reflexões e posicionamentos para ações, a respeito das questões que envolvem a educação, as escolas especializadas e escolas convencionais em todo o país.


Cartaz da Audiência Pública EDUCAÇÃO INCLUSIVA - INCLUSÃO OU EXCLUSÃO -





















Descrição textual do cartaz – CDPD – OAB – RJ:
Em tamanho A3 descrito de cima para baixo.
O visual mostra silhuetas humanas de mãos dadas, na cor mostarda, sobre fundo branco, na proporção de 1/3 do cartaz.
Sobre as silhuetas está o título do evento.
EDUCAÇÃO INCLUSIVA
INCLUSÃO OU EXCLUSÃO
"NADA SOBRE NÓS SEM NÓS"

No meio, em fundo amarelo, constam as informações:
data: 8 de agosto de 2011
local: Segunda, das 10h as 13h
inscrição: Av. Marechal Câmara, 150 - 9° andar
INSCRIÇÕES NO LOCAL NO DIA DO EVENTO
contato:
Informações: Comissão de Defesa dos Direitos da Pessoa com Deficiência (CDPD)
TeL. (21) 2272-2053/2054
E-mail cdpd@oabrj.org.br

Na parte inferior, na cor bege escuro, está a programação e o objetivo da audiência pública.
AUDIÊNCIA PUBLICA
PROMOÇÃO DE DEBATES SOBRE A EDUCAÇÃO INCLUSIVA PARA MAIOR COMPREENSÃO DA NECESSIDADE DE COEXISTÊNCIA DAS ESCOLAS ESPECIALIZADAS COM  AS ESCOLAS CONVENCIONAIS.
MANIFESTAÇÃO EM PLENÁRIA DE PARLAMENTARES, AUTORIDADES E REPRESENTANTES DA SOCIEDADE CIVIL E DOS MOVIMENTOS DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA.
No rodapé, tarja branca, destacam-se as logomarcas da OAB como realizadora, e da Associação de Pais, da APABB, ADVERJ, Associação dos ex-alunos da Associação Benjamin Constant e da Defensoria Pública do Estado do Rio de Janeiro.
Contamos com sua presença e participação!

O convite, cartaz e descrição textual, foram enviados por Deborah Prates – Coordenadora do evento e membro da Comissão de Defesa dos Direitos da Pessoa com Deficiência (CDPD) – OAB –RJ.

quinta-feira, 28 de julho de 2011

Divulgando CINESESC SESC Cascavel - PR

Geada Negra

Data: 11 de agosto (quinta-feira)

Horário: 19h30
Local: Sesc Cascavel - Rua Carlos de Carvalho, 3367 - Centro.

PARTICIPAÇÃO GRATUITA
Debate técnico após a exibição.

“Todo o café dizimado”. Esta foi a triste manchete dos jornais paranaenses do dia 18 de julho de 1975, um dia após a ocorrência da maior geada de que se tem notícia no Brasil. A força e extensão do fenômeno levou o episódio a ser batizado de “geada negra”, pela destruição das raízes dos pés de café, a principal cultura agrícola nacional à época.

Nos períodos subsequentes, a política de redução dos incentivos para a produção cafeeira foi acentuada. Como a cultura absorvia muita mão-de-obra, o fim dos cafezais resultou, ao longo dos anos seguintes, em um dos maiores êxodos populacionais ocorridos no Brasil e um dos maiores do mundo entre os ocorridos em tempos de paz. A partir deste evento o Paraná é redesenhado, os pequenos municípios esvaziam-se e os maiores têm avolumadas suas populações marginais, principalmente nas regiões metropolitanas.

O tema do documentário é original – jamais fora realizado um documentário sobre este fato, apesar da grandiosidade dos seus efeitos – e tem uma dimensão e importância que abrange todo o Paraná, afinal, das cidades pequenas às grandes cidades do interior, da capital às suas regiões metropolitanas há pessoas e histórias que de algum modo tiveram seus destinos marcados por este fenômeno. Ocorrido em um passado recente, apenas 35 anos, o fato ainda vive na memória dos paranaenses e dos brasileiros. Por este motivo, desperta muito interesse e tem um enorme público telespectador potencial.

Para a realização do telefilme, foram recuperadas imagens de arquivo – fotografias, filmes e jornais – que até então estavam guardadas em arquivos públicos e privados e que serão novamente levadas ao público. O documentário retoma ainda personagens fundamentais para se compreender aquele momento, como governadores e secretários estaduais à época, e realiza um minucioso levantamento histórico do período, resultando em um produto que pode servir como base e referência histórica sobre o período abordado e sobre a dinâmica econômica e social paranaense à época.

Sinopse:
Na manhã de 18 de julho de 1975 uma perspectiva terrível assombra os paranaenses. A economia do estado, ainda vinculada à produção cafeeira, passaria pelo seu pior pesadelo. Se na noite anterior o Paraná dormira deslumbrado com a rara neve que caíra sobre a capital, no dia seguinte acordara com os efeitos catastróficos da “geada negra” – que destruiu pela raiz todos os cafezais do estado – o mais duro golpe experimentado pelos paranaenses.

Entrevistados:

Jayme Canet Jr.
Governador do Paraná 1975-79

Belmiro Valverde Castor
Secretário de Planejamento 1974-79

Luiz Geraldo Mazza
Jornalista

José Lazaro Dumond
Presidente da Federação dos Trabalhadores na Lavoura do Paraná 1964-82

Maria Lúcia Urban
Pesquisadora do Ipardes

Francisco Barbosa Lima
Técnico do Instituto Brasileiro do Café

Klaus Kaphan
Cafeicultor

Jota Oliveira
Jornalista

Irineu Pozzobon
Técnico do Instituto Brasileiro do Café

Wilson Baggio
Cafeicultor

Daniel Henrique de Andrade
Corretor de café

Milton Matoso
Corretor de café

Maria de Lourdes Kleinke
Pesquisadora do Ipardes

João Urban
Fotógrafo

Wilson Baggio
Cafeicultor

Mário Stadler de Souza

Presidente da Federação da Agricultura do Paraná 1973-85

Joaquim Severino
Diretor geral da Secretaria de Agricultura do Paraná 1975-79

Ficha técnica
Direção, pesquisa e roteiro
Adriano Justino

Assistência de direção
Danilo Pschera

Edição
Eduardo Baggio

Direção de fotografia
Fernando Aguiar e Isaías Emílio

Direção de produção
Suzana Aragão

Técnico de som
Reinaldo Freire

Trilha sonora e mixagem de som
Demian Garcia

Locução
Ricardo Sabbag

Animações e tratamento de fotos
Everton Sebben


Assistentes de pesquisa
Fabiano Atenas
Flávia Alves

Acervos de fotos
Armínio Kaiser, do livro Ao sabor do Café
João Urban
Museu da Imagem e do Som do Paraná
Museu Padre Carlos Weiss de Londrina (Acervo R. Kretch)

Acervos de filmes
Museu da Imagem e do Som do Paraná
Rede Paranaense de Comunicação


Acervo de jornais
Biblioteca Pública do Paraná




CINEMATOSO

Data: 12 de agosto (sexta-feira)
Horário: 19h30
Local: Sesc Cascavel - Rua Carlos de Carvalho, 3367 - Centro.

PARTICIPAÇÃO GRATUITA

Debate técnico após a exibição.

Documentário sobre a vida e obra do cineasta Cyro Matoso.

Cyro Matoso é um jovem senhor de setenta e poucos anos, figura única das artes em Paranaguá. Aposentado pelo IBC (Instituto brasileiro do Café) desde os anos 70, dedica-se à sua grande paixão, o cinema. Nesse tempo, realizou mais de 10 filmes dentre curtas, médias e longas metragens, sempre produzindo de forma alternativa, remando altivo contra a maré. Artista Plástico e Cineasta, em meados dos anos 70 também iniciou as encenações da Paixão de cristo na cidade, reunindo elenco, dirigindo e construindo ele próprio os cenários.

Em filmes como “O Mistério da Casa Afundada”, “Grazi na terra de King Kong”, “Aparição da Virgem do Rocio”, Cyro desenvolveu uma maneira peculiar de retratar a Paranaguá do passado, abordando lendas caiçaras e estórias religiosas em paralelo a temáticas locais da atualidade. É contagiante a perseverança com que produz os seus filmes. De forma totalmente intuitiva e independente, ele escreve o roteiro, consegue apoio de comerciantes locais e escala o elenco, em sua grande maioria moradores (“não atores”) da própria comunidade.

Assim, mais do que um cineasta, Cyro tornou-se uma figura folclórica viva do litoral paranaense. Um agitador cultural que desperta à comunidade mais humilde um olhar cinematográfico. Cyro é um exemplo vivo, aos novos realizadores, de que os inquietos olhos do artista podem e devem sempre brilhar.


Sinopse:
Documentário sobre a vida e obra do cineasta Cyro Matoso.

2010 – CineMatoso (Documentário)

Informações Técnicas:
Documentário | Mini-dv | Cor | 16x9 (Widescreen) | 2.0 | 80’00” | 2010 |


Ficha Técnica:

Produção: Processo MultiArtes | Co-Produção: Grafo Audiovisual | Prod. Associada: Vigor Mortis | Direção e Roteiro: Bruno de Oliveira | Ass. de Direção: Fábio Allon | Dir. de Produção: Adriano Esturilho | Produção Executiva: Adriano Esturilho e Carolina Maia | Ass. de Produção: Marisa Merlo | Dir. de Fotografia: Adalgisa Lacerda e André Chesini | Ass. de Câmera e Câmera Adicional: Antônio Jr. | Still: Andressa Cor | Som Direto: Roberto Carlos de Oliveira (Tinho) | Programação Visual: Pablito Kucarz | Edição e Finalização: Daniel Duda | Apoio: SESC PR, Restaurante À Bombordo, Pizzaria Será o Benedito, FUMCUL Fundação Municipal de Cultura – Paranaguá, FUMTUR - Fundação Municipal de Turismo – Paranaguá, Sanepar, ATG – transportes | Incentivo: Banco do Brasil, Prefeitura Municipal de Curitiba, Fundação Cultural de Curitiba e Lei de Incentivo à Cultura |

Fonte: Lysiane Baldo
Técnica de Atividades - Cultura
SESC Cascavel - (45) 3225 3828
lysianebaldo@sescpr.com.br

domingo, 24 de julho de 2011

"REHAB"

Fotografia P&B com solarização. Autorretrato inspirado no rosto maquiado de Amy Winehouse. Pintura e distorções no cabelo, manipuladas no programa “Adobe Photoshop”.

Detalhe da face esquerda, rosto feminino.  Olhar lateral, íris próxima ao canto externo do olho. Olho grande maquiado com delineador e lápis preto ao redor. Linha grossa preta estende-se do canto direito do olho até a sobrancelha, em direção à fronte.  Mecha de cabelo preto, pouco ondulado, emoldura a lateral da face no lado direito da imagem. Da narina sai a palavra vermelha, “REHAB”, em letras tortas. Desenhada com lápis preto abaixo do olho, uma lágrima, pintada de vermelho.


































Amy Winehouse em despedida. A vida merece cuidados!

*1983 †2011


 Assista "Rehab" no link acessível.

quarta-feira, 20 de julho de 2011

Reunindo os amigos em torno do bolo, você está convidado!

Hoje nos reunimos em torno do bolo que fiz, experimentei a arte culinária, desde a compra dos ingredientes, preparo e apresentação. Registrei em fotografias algumas etapas, como prometi à fonte da receita deste bolo, o generoso Josa Junior “Artesão e Artista Plástico que vive no mato” (@JosaJr). 
Não publiquei a receita para que você visite o blog do Junior, lá ele publica outras receitas, em fotografias e textos generosos que vão gerando gentilezas. Conheça a receita, leia e veja em Banco & Balcão.
A maça com a canela, amêndoas (não usei as nozes da receita original), as uvas passas e as raspas de limão (estas substituídas pela essência de baunilha da receita original), formam juntas uma composição aromática de perfume inesquecível, percebida já durante o preparo.
Não triturei as amêndoas, deixei algumas inteiras e outras apenas quebradas ao meio para se destacarem na mastigação, assim como acontece com as uvas passas macias e azedinhas.
Tive um problema no momento de desenformar, algumas passas e um pouco da massa grudaram no fundo da fôrma, acontece nas melhores cozinhas. Recordo de uma dica materna, se passar as uvas-passas em um pouco de farinha de trigo, antes de misturá-las à massa, evita que sedimentem no fundo da forma durante o cozimento. Esqueci!  Mas nada que comprometa esse momento, nem as fotografias despretensiosas.
Não fiz a cobertura sugerida na receita original, para não errar novamente, polvilhei por cima do bolo ainda quente, um pouco de açúcar e canela. Cortei duas fatias finas de maça e decorei as bordas do prato. Deixei que caisse um pouco de canela sobre a borda.
Vamos ver as fotografias?

Na metade inferior da imagem, vê-se uma superfície de madeira marrom de tábuas estreitas horizontais. Sobre a superfície, centralizada na imagem, é vista a lateral de uma tigela de vidro transparente, redonda e com água. Vê-se uma tampa branca redonda submersa, mais abaixo três maças vermelhas e dois limões verdes, as frutas estão deformadas pelo efeito produzido pela água e o vidro transparente. Ao fundo vê-se parte de uma parede com azulejos beges.


Imagem superior da parte de uma tigela redonda de vidro transparente, sobre uma superfície de madeira marrom. Ocupando de baixo para cima, em mais da metade inferior da imagem, dentro da tigela, uma massa de bolo pastosa, amarelada, pequenos pedaços de maçã e amêndoas e bolhas pequenas na superfície. Atrás da tigela, pouco desfocados, na parte superior da imagem, sobre pires bege, ralador de metal, limão com a casca ralada, maçã vermelha e poucas amêndoas, xícara branca com açúcar, embalagem de óleo
Imagem vista de cima. Na metade inferior da imagem, sobre uma superfície de madeira marrom de tábuas estreitas diagonais, vê-se parte de uma fôrma redonda de alumínio untada e parte de uma tigela redonda de vidro transparente, derramando dentro da forma uma massa marrom clara e pastosa, com pedaços misturados de maça, amêndoas e uvas-passas.

Imagem vista de cima de uma superfície de madeira marrom, de tábuas estreitas horizontais.  Sobre a superfície, vê-se uma maçã vermelha à esquerda, ao lado uma forma redonda de alumínio com furo centralizado, preenchida com massa pastosa amarelada de bolo, com pedaços de frutas e amêndoas.  Sobre a superfície de madeira, aproximadas da maça e da forma, seis amêndoas na cor da madeira e seis uvas-passas pretas dispostas desordenadamente.

Na parte inferior da imagem, vê-se parte de uma toalha de mesa de crochet filet branco, por baixo de um prato branco redondo. No centro da imagem, em cima do prato branco, um bolo marrom de furo redondo centralizado. Ao fundo são vistos desfocados, o restante da toalha de mesa, um bule, três xícaras e pires de porcelana branca decorada com flores, quatro taças de vidro transparente, pequena tigela de barro marrom com três maças vermelhas, e parte de uma cortina de tecido bege.

Centralizado na imagem, de frente, em cima de uma superfície forrada com toalha branca de crochet filet , um bolo marrom com furo no centro, sobre um prato redondo branco. À esquerda em cima do bolo, pequena bandeirola triangular de papel branco, escrito com letras pretas “RECEITA DO @JosaJr” e “GENTILEZA GERA GENTILEZA”. Na borda do prato, duas fatias finas de maça sobrepostas e pó fino marrom. Pó branco e marrom em cima do bolo. Ao fundo,sobre a toalha, quatro maças vermelhas brilhosas.


Sobre uma superfície branca, resquícios da massa do bolo, uvas-passas açucaradas e a metade de um bolo partida ocupando a parte superior da imagem. À esquerda, na parte seccionada, são vistos  pequenos pedaços de maça, uvas-passas e amêndoas incorporadas na massa.


Agradeço sua presença!

quinta-feira, 14 de julho de 2011

FESTA COMEMORATIVA DOS 20 ANOS DE FUNDAÇÃO DA SURDOVEL - CASCAVEL, PR

FESTA DOS 20 ANOS DA SURDOVEL

Convite!

A Surdovel (Associação dos surdos de Cascavel) promove neste dia 30 de Julho, com início às 22 horas, o baile em comemoração aos 20 anos da Associação.
No local haverá um coquetel e desfile da Garota Surdovel. Logo após a festa com DJ.

Valor dos Ingressos:
Homem: R$ 20,00:
Mulher: R$ 15,00

Traje social.

INTERESSADOS PROCUREM PELA DIRETORIA DA SURDOVEL OU PELO FONE 8825-2938.
OBS: Entrada proibida para menores de 16 anos.

O vídeo abaixo é o convite em LIBRAS feito pelo Presidente da Surdovel, Lúcio Rogério Rodrigues. Disponível no You Tube, acesse o
link acessível  Abaixo do vídeo a descrição. Desculpem não traduzir na íntegra o vídeo, ainda sou aprendiz em LIBRAS. Mas o convite está feito!



O vídeo inicia com o cartaz em fundo amarelo, com texto escrito e desenho sobre faixas brancas, primeira faixa em letras laranjas, está escrito “FESTA DA SURDOVEL”, na segunda faixa abaixo, em linhas pretas o desenho de duas mãos, da esquerda para a direita, sinal com mão direita do número “2”, e sinal com mão direita do número “0”. No círculo formado na junção das pontas dos dedos, no número "0", vê-se a logomarca colorida da associação Surdovel, e abaixo da mão lê-se “Anos” em letras pretas. Na última faixa lê-se “30 DE JULHO DE 2011”, em letras pretas. Luciano Rogério Rodrigues faz o convite na Língua Brasileira de Sinais, identifica-se e comunica o local de realização, são vistas duas fotografias do local e endereço escrito em letras amarelas, "Rua Bom Jesus, 920. Região do Lago 1", mostrando também o Salão e "Clube dos Subtenentes e Sargentos de Cascavel". Comunica o tipo de traje, surgem duas fotografias, uma com trajes masculinos, “Traje passeio ou esporte fino masculino” e o tipo de traje feminino, surgem as imagens dos trajes. Comunica o horário de realização, valor dos ingressos, etc.
Qualquer dúvida entre em contato com o celular informado acima.

sexta-feira, 8 de julho de 2011

XXII Festival de Música de Cascavel

XXII Festival de Música de Cascavel – 09 a 17 de Julho

Este ano, o SESC Cascavel tem a grande satisfação em participar como realizador deste importante evento cultural promovido pela Secretaria Municipal de Cultura – Prefeitura de Cascavel. Cascavel irá respirar música nos próximos dias! Confiram abaixo a programação:

PROGRAMAÇÃO ARTÍSTICA

09 de Julho – sábado
Abertura – Fernando Deghi – Viola brasileira
Centro Cultural Gilberto Mayer – 20h30 – entrada gratuita


10 de Julho – domingo
Lançamento CD "Ser Feliz Toma Tempo" - Guino – Cascavel
Banda Kaoll & Lanny Gordin – São Paulo
Centro Cultural Gilberto Mayer – 19h30 – entrada gratuita


11 de Julho – segunda-feira
Noite dos Corais: Coral Municipal de Cascavel, Coral Novos Cantos, Coral da Igreja Quadrangular, Coral do Exército
Centro Cultural Gilberto Mayer – 20h – entrada gratuita


12 de Julho – terça-feira
SONORA BRASIL: Sotaques do Fole – Gilberto Monteiro e Grupo
Centro Cultural Gilberto Mayer – 20h – entrada gratuita


13 de Julho – quarta-feira
Noite dos professores
Centro Cultural Gilberto Mayer – 20h – entrada gratuita



14 de Julho – quinta-feira
Orquestra Sinfônica do Paraná
Catedral Nossa Senhora Aparecida – 20h – entrada gratuita


15 de Julho – sexta-feira
Noite dos alunos
Centro Cultural Gilberto Mayer – 20h– entrada gratuita



16 de Julho – sábado
Banda/Orquestra/Coro do Festival
Centro Cultural Gilberto Mayer – 20h – entrada gratuita


17 de Julho – domingo
Grupo Musical Sollare - Curitiba
Centro Cultural Gilberto Mayer – 20h – entrada gratuita




NÚCLEO DE ESTRUTURAÇÃO

1. Manutenção de instrumentos de sopros: Arthur Pontes (PR)

Manutenção e consertos em geral agendados.

2. Manutenção de instrumentos de cordas: Leandro Mombach (PR)

Manutenção e consertos em geral agendados.


HORÁRIOS MATUTINOS

3. Regência de banda/coral e orquestra: Israel Menezes (RJ) – Das 09h às 11h

4. Didática da Flauta Doce – Ângela Sasse (PR) – Das 09h às 12h

5. Musicalização infanto-juvenil para professores – Adriana Fabro (PR) – Das 09h às 11h

6. Viola Brasileira – Fernando Deghi (SP) – Das 09h às 12h

7. Violão (popular e erudito) – Fernando Vergutz (PR) – Das 09h às 12h

8. Violino/viola avançado – Marcos de Lazzari (PR) - Das 09h às 12h

9. Violino Suzuki: Max Scheffler (PR) – Das 09h às 11h

10. Violoncelo – Will Rios (PR) ( de 13 a 16 de julho) – Das 09h às 11h

11. Contrabaixo acústico: Alisson Barros (PR) ( de 13 a 16 de julho) – Das 09h às 11h

12. Piano: Maestro Espírito Santo (SP) – Das 09h às 11h

13.Saxofone/Clarinete/Flauta transversa: Marcelo Oliveira (PR) – Das 09h às 12h

14. Prática de Metais: Fernando Deddos (PR) – Das 09h às 11h

15. Percussão: Batucada Brasileira - Vina Lacerda (PR) – Das 09h às 12h


HORÁRIOS VESPERTINOS

16. Regência de banda/coral e orquestra: Israel Menezes (RJ) – Das 14h às 16h

17. Didática da Flauta Doce – Ângela Sasse (PR) – Das 14h às 17h

18. Musicalização para alunos ( 10 a 14 anos) – Adriana Fabro (Curitiba) – Das 14h às 15h

19. Musicalização para alunos ( 05 a 09 anos) – Adriana Fabro (Curitiba) – Das 15h às 16h

20. Viola Brasileira – Fernando Deghi (SP) – Das 17h às 20h

21. Violão (popular e erudito) – Fernando Vergutz (Curitiba) –

22. Viola/Violino avançado – Marcos de Lazzari (Curitiba) – Das 14h às 17h

23. Violino Suzuki: Max Scheffler (PR) – Das 14h às 17h

24. Violoncelo – Will Rios (PR) de 13 a 16 de julho – Das 14h às 16h

25. Contrabaixo acústico: Alisson Barros (PR) ( de 13 a 16 de julho) – Das 14h às 16h

26. Piano: Maestro Espírito Santo (SP) – Das 14h às 16h

27.Saxofone/Clarinete/Flauta transversa: Marcelo Oliveira (PR) – Das 14h às 17h

28. Prática de Metais: Fernando Deddos (PR) – Das 14h às 16h

29. Percussão: Batucada Brasileira - Vina Lacerda (PR) – Das 14h às 17h


PRÁTICAS EM CONJUNTO

30. Prática de banda sinfônica – Maestro Fernando Deddos (PR) – Das 17h30 às 19h30

31. Prática de orquestra – Maestro Israel Menezes (RJ) – Das 17h30 às 19h30

32. Prática de coro adulto – Maestro Espírito Santo (SP) – Das 18h00 às 20h00

33. Prática de coro infantil – Adriana Fabro (PR) – Das 16h às 17h30

Fonte: Lysiane Baldo - Técnica de Atividades - Cultura
SESC Cascavel - (45) 3225 3828
lysianebaldo@sescpr.com.br

domingo, 3 de julho de 2011

Poema "Adiante"

ADIANTE


Não entendo vida que não seja dividida,

distribuída,

ou construída do chão até o monte,

se não alcançar o alto,

que seja em rama,

e se expanda,

até o adiante.

sexta-feira, 1 de julho de 2011

Um mundo dentre outros mundos

Fonte do texto:Rede Saci
Copiado em: 01/07/2011
Autor: Geilson de Sousa Santo



MUNDO DOS CEGOS

São Paulo - SP, 30/06/2011

Reflexões de um deficiente visual que enxerga o mundo de dentro para fora.

Geilson de Sousa Santo.

Muitas pessoas ficam impressionadas quando vem uma pessoa cega fazendo suas atividades normais! Andando, correndo, brincando, dançando, pulando, lavando uma louça, fazendo um café, etc. Ficam se perguntando: Como é que ele consegue fazer isso? Como ele consegue fazer aquilo? Ficam se adimirando, com que fazemos e falamos!

Mais o que eles mais tem curiosidade de saber é o que pensamos, o que sentimos, como percebemos as coisas, enfim, querem saber como é o nosso Mundo. Com certeza, você já deve ter ouvido falar que um cego tem o seu próprio mundo! Eles tem muita vontade de saber como é viver o mundo só escutando e tocando. Com certeza, você já deve ter ouvido isso: "Os cegos vem mais do que nós!". E com certeza, você deve ter ficado confuso. Ou então: "Eles não podem ver com os olhos mais podem ver com o coração!" Você deve está se perguntando: mas como é isso? Como eles enxergam melhor do que nós se são cegos? Para que você intenda como é isso, vou explicar.

Quando você vê um objeto, você presta atenção no modelo, na cor e no tamanho. Não é? Mais nós, cegos, quando pegamos em um objeto, prestamos atenção no tamanho, o material que ele é feito, qual é sua textura, se áspero, liso, macio, grosso, fino, mole ou duro. E se alguém descrever pra gente a cor do objeto, pronto, a nossa visão daquele objeto já está completa. É assim que vemos.

Isso é muito comum acontecer, quando uma pessoa cega fala pra uma pessoa que enxerga que lhe acha bonita, lá vem a pergunta: Como é que você sabe não está me vendo? Muitas pessoas que enxergam acham que a beleza é vista pelos olhos, o que não é verdade.

Quando você olha pra uma pessoa, e diz que ela é bonita, você está olhando o corpo dela. Se é gordo ou magro, a cor dos cabelos, dos olhos, etc.
Nós cegos vemos as pessoas da seguinte forma:

Ouvindo sua vós, quando ouvimos a voz de alguém, prestamos atenção de onde ela vem, em qual direção, em qual distância, se é alta ou se é baixa, Se é grossa ou se é fina, se a vós de homem ou de mulher, se a qué-la vós é de algum conhecido ou amigo! Prestamos atenção na tonalidade, se a vós é macia, ou uma vós raivosa, triste ou feliz, se é uma voz doce, carinhosa, irritada, cansada ou rouca! Prestamos atenção o jeito que a pessoa está falando! Se é um jeito amigo, ou inimigo. Se é querendo ajudar, ou não. Se está falando com medo ou com segurança. E você que enxerga? Presta atenção nisso? Nós cegos, podemos ver com as mãos, com os ouvidos, com o coração e com a imaginação. Com as mãos, vemos as texturas dos objetos, o material que ele é feito, o tamanho, a temperatura e o peso. Com os ouvidos, vemos o som que ele tem, se é um som alto ou baixo, grave ou agudo, rápido ou lento. Com a imaginação, imaginamos a cor que ele tem. Com o coração, vemos os sentimentos das pessoas, se são bons ou ruins, se gostam da gente ou se é só falsidade, se são amigas de verdade ou só por interesse em alguma coisa. Prestamos muita atenção nas sensações, a sensação de voar de avião, de um beijo, de um carinho, de se sentir amado, apaixonado, etc.

O objetivo desse texto é pra mostrar para as pessoas que enxergam, a forma que os cegos veem! Por favor, compartilhe esse texto com todos em sua volta e peça que eles façam o mesmo.