sexta-feira, 5 de agosto de 2011

Fotografando com um olho mágico

Criar outras possibilidades de experimentação na fotografia foi o que me ocorreu no momento que encontrei um “olho mágico”, estava perdido numa caixa de ferramentas, fora retirado de uma porta, estava com a lente um pouco riscada, mas me ofereceu a possibilidade de experimentá-lo como uma segunda lente na câmera, e o resultado foram imagens bem interessantes. Bem, não fiz nenhuma descoberta, o que surpeende são os resultados. 

O olho mágico foi posicionado em frente à lente da câmera fotográfica, delicadamente, segurado com uma das mãos, sem nenhuma fixação. O resultado são fotografias em formato circular. A imagem fica deformada e se "acomoda" dentro da área num efeito interessante, como em fotografias feitas com lente grande-angular, leia mais sobre lente grande-angular. As possibilidades de leitura das cenas fotografadas é a grande diversão. 

Houve vazamento de luz ao redor da imagem circular, a luz penetrou através da lente e borrões da imagem foram refletidos dentro do tubo preto do olho mágico, deixei como parte da experimentação, funcionou como uma moldura circular.

Aqui estão duas fotografias, experimente também e divirta-se!

Fotografia colorida. Imagem circular no centro de um retângulo preto. Preenchendo quase toda a área circular, vê-se pequena árvore de folhas verdes escuras, com várias flores grandes cor-de-rosa e brancas, distribuídas na copa arredondada, não se vê o tronco. As flores da frente estão maiores, ampliadas, é a distorção do efeito da lente. Abaixo da árvore grama verde. Atrás da árvore, na área superior da imagem circular, vê-se parte de janelas e telhado de uma casa grande e o céu azul.

Fotografia colorida. Imagem circular de uma paisagem centralizada em um retângulo preto. Na metade inferior da imagem vê-se o lago e na metade superior o céu com nuvens brancas. Entre o céu e o lago, vê-se uma faixa distante de vegetação desfocada.  Na lateral esquerda, deformadas, a margem do lago com grama verde e árvores desfocadas. De frente, à esquerda, enfileiras, fixadas na grama e no lago,onze toras de madeira escura. No lado direito, sobre as águas, duas passarelas flutuantes de madeira escura.

3 comentários:

Diniz! disse...

Rosa! Me impressiona o que se pode fazer com a fotografia. Jogo de luz, reflexos... Claro que tudo isso depende da criatividade do fotógrafo, o que, no seu caso, é algo notável. E foi só depois de conhecer o seu blog que comecei a perceber e descobrir tudo isso, graças as suas descrições. Quando você descreve uma foto sua, aprofunda-se no conteúdo e a reflexão é ampliada.
Um abraço!

Rosa da Rosa disse...

Obrigada Diniz! É muito bom saber que você também foi seduzido pela fotografia, pelos encantos e reflexões que possam ser geradas através dela. Aqui tudo é primário, mas que seja um incentivo para que todos experimentem fotografar, esse é um dos objetivos do blog. Abraço, Rosa.

Eliziane disse...

Rosa, quanta sensibilidade! Achei sua idéia maravilhosa! Parabéns!